Os candidatos ao papado por continente

Cardeal Angelo Scola como candidato europeu

Roma, (Zenit.org) Antonio Gaspari | 1506 visitas

Quanto mais próxima a data do conclave, maior a possibilidade de apontar os cardeais “favoritos” para o pontificado. Como já aconteceu nos últimos conclaves, cada grupo continental vota no próprio candidato na primeira votação, prevista para a tarde desta terça-feira, 12 de março.

A Europa tem o maior número de cardeais eleitores: sessenta. São também os mais velhos e parecem divididos na escolha. A Igreja europeia, além disto, é a que enfrenta a maior crise de todo o catolicismo atual. Não parece haver um candidato maciçamente preferido, mas o mais forte para o primeiro escrutínio, ou seja, o cardeal que pode obter a maior quantidade de votos, é Angelo Scola, 71 anos, arcebispo de Milão e discípulo de Giussani e de Ratzinger.

O grupo italiano é o mais numeroso, com 28 cardeais eleitores. Talvez nem todos optem por Scola, mas, somando-se os votos dos cardeais da Europa Oriental e de outros “simpatizantes”, acredita-se que o arcebispo de Milão possa chegar a cerca de 40 votos.

A África tem 11 cardeais eleitores. A imprensa aponta como favorito no continente o cardeal de Gana, Peter Kodwo Appiah Turkson, 64, presidente do Conselho Pontifício Justiça e Paz, embora o candidato africano que concentra mais consenso seja Robert Sarah, 67, presidente do Cor Unum e coordenador das atividades de caridade da Igreja no mundo.

A América do Norte, com 14 eleitores, tem como candidato mais destacado o cardeal Sean Patrick O'Malley, 68, arcebispo de Boston, frade capuchinho de ascendência irlandesa.

A Ásia tem 10 votos e especula-se que, no primeiro escrutínio, a maioria deles irá para o arcebispo de Manila, de origem chinesa, Louis Antonio Gokim Tagle, de 56 anos.

A América Latina, com 11 eleitores, parece orientada a focarem dom Odilo PedroScherer, 64, arcebispo de São Paulo.

Por fim, a Oceania tem apenas um eleitor, o cardeal George Pell, de 71 anos.

Alguns apostadores europeus vêm listando como candidatos mais prováveis os cardeais Angelo Scola, Peter Turkson, Sean Patrick O'Malley e Louis Antonio Gokim Tagle. As especulações em torno de dom Odilo Scherer também têm crescido.