Os desafios da bioética para o homem moderno

Documento da Conferência Episcopal da Polônia discute ameaças à vida humana na fase pré-natal e critica os procedimentos "in vitro"

Roma, (Zenit.org) Don Mariusz Frukacz | 936 visitas

"Os desafios da bioética para o homem moderno" é o título do documento sobre bioética elaborado pela Conferência Episcopal da Polônia e publicado nesta terça-feira, 9 de abril.

Entre as muitas questões abordadas, o documento dos bispos foca em especial na prática "in vitro", observando que ela "prevê o aborto seletivo".

O documento discute a natureza das ameaças à vida humana na fase pré-natal e avalia a situação cultural atual, que "provoca uma mudança radical na percepção da genitorialidade e a falta de sensibilidade pela singularidade e pelo valor de cada vida humana”.

Os bispos enfatizam que o relativismo praticado afeta e desafia conceitos basilares como a vida, a dignidade, a saúde, a humanidade. "Estes conceitos da nossa civilização, cujas raízes remontam à cultura grega, romana e cristã, têm, no entanto, um significado universal".

A conferência episcopal critica o método "in vitro" porque nele os embriões são submetidos a um aborto seletivo. O que se pretende enfatizar é que a técnica "in vitro" prejudica a unidade entre os cônjuges, que "são separados no ato da concepção". O documento salienta que o dever de todo católico ao participar na vida pública é "a fidelidade à doutrina da Igreja católica e do próprio Cristo".

O compromisso político só é possível, escrevem os bispos, quando serve à realização de um bem maior, e não como método para resolver problemas éticos ou corrigir os "critérios do bem".

O documento de dez páginas tem caráter pastoral e será publicado também pelo semanário católico Niedziela, de Czestochowa, cujo diretor, pe. Ireneusz Skubiś, afirma em conversa com ZENIT: "O documento é de extrema importância. Ele oferece uma explicação clara sobre a dignidade da vida humana desde a concepção até a morte natural. Ele não só deve ser lido com cuidado, mas também solidamente estudado".

De acordo com Skubiś, "as tendências atuais da mídia causam confusão sobre as questões éticas e morais na mente das pessoas. O mundo de hoje voltou a sofrer a influência das teorias marxistas, que existem na forma de diretrizes dos Estados ateus e sem Deus”.