Os quatro caminhos para uma boa quaresma

Reflexões de Frei Patricio Sciadini

Roma, (Zenit.org) Frei Patrício Sciadini | 3176 visitas

Sempre que chegamos na 4a feira de Cinzas nos perguntamos: e agora, o que devo fazer para me preparar para a Pascoa? 

Passou a onda do carnaval e começa o caminho sério e de conversão. Há muitas pessoas que acham que recebendo as cinzas tudo está resolvido, fez tudo. Na verdade as cinzas são um sinal de conversão, de uma mudança de vida interior. 

Este ano fomos surpreendidos pelo gesto do Papa Bento que quis tomar uma decisão para nos recordar, a cada um de nós, que somos servos e não senhores dos serviços que fazemos. 

Mas quais caminhos seguir?

1. A Oração: no tempo da Quaresma, a Igreja nos convida a rezar mais, participar mais das celebrações liturgicas, em todas as igrejas nas sextas-feiras ( `as vezes também em outros dias) acontece a Via SAcra, ler mais a Biblia, sentir que Deus está mais perto de nós. Fazer todos os dias, pelo menos um pouco de oração pessoal. 

2. Jejum, mas qual jejum? O jejum que Deus mais gosta é o jejum do "pecado do mal e do orgulho". Sermos capazes de vencer o mal que está dentro de nós. É claro que nisto nos ajudam algumas mortificações praticas: quem sabe perder menos tempo no computador, na internet, na tv; menos "festanças e comilanças", falar menos mal dos outros, "dominar a lingua". ..

3. Esmola: para dar esmola é necessario privar-se de alguma coisa; não somente os ricos devem "jejuar e dar esmola" mas todos nós, cada cristão. Quem não pode dar 10, dê 5, não pode 5, dê 1 e quando não pode 1 e meio, todos temos possibildiade de nos ajudar recirprocamente. Ajudar os outros com nossos sacrificios. 
Mas qual é a melhor esmola que podemos dar? É o amor e o perdão e receber amor e perdão dos outros. Jesus também pediu esmola:"Dai me de beber" e deu esmola, deu a si mesmo, agua da vida. 

4. Humildade: é a lição do gesto do Papa Bento XVI. Estão dizendo muitas besteiras, se inventam coisas e se imaginam coisas. Eu sou assim: "creio que o que o Papa diz na sua carta é a verdadeira motivação". Sermos humildes significa saber aceitar nossas qualidades e nossas limitações.