Os Reis representarão a Espanha na canonização dos dois papas

Francisco será o sétimo pontífice com o qual Dom Juan Carlos se relaciona. O Santo Padre receberá o monarca em uma audiência privada no dia seguinte à canonização

Roma, (Zenit.org) Redacao | 316 visitas

No próximo domingo, os Reis conhecerão pessoalmente o Papa Francisco quando viajem à Roma para representar a Espanha na canonização de João XXIII e João Paulo II. Um dia depois das canonizações, na segunda-feira, 28 de abril, Suas Majestades serão recebidas pelo Santo Padre em uma audiência privada. Para dom Juan Carlos, o Pontífice argentino será o sétimo com o qual se relacione. E é que o vínculo entre a família real espanhola e o Vaticano tem sido sempre muito grande.

O primeiro papa que Don Juan Carlos conheceu foi Pio XII, que lhe ministrou as águas batismais em 1938, quando ainda era o cardeal Eugênio Pacelli, secretário de Estado da Santa Sé. Um ano depois de batizar o então príncipe, o purpurado foi eleito para o ministério de Sucessor de Pedro.

Já prometidos, don Juan Carlos e a dona Sofia acompanharam o conde de Barcelona a Roma, onde foram recebidos por João XXIII, que deu a sua dispensa para que os noivos pudessem contrair matrimônio por meio de uma cerimônia dupla: católica e ortodoxa. Recém casados, o casal voltou a visitar o Santo Padre para agradecer-lhe tudo o que tinha feito para que pudessem se casar já que a diferença de confissão cristã dos nubentes foi uma enorme dificuldade na época.

Por seu lado, Paulo VI o recebeu em várias ocasiões quando ainda eram príncipes e dona Sofia acudia ao Vaticano vestida de negro e com mantilha de renda da mesma cor. Mas este pontífice foi também o primeiro ao qual visitaram sendo reis e dona Sofia pôde fazer uso do véu privilegiado das rainhas católicas de acudir vestida de branco.

Embora o Papa João Paulo I foi um dos mais curtos da história, pois durou apenas 33 dias, os reis tiveram a ocasião de conhece-lo. A audiência foi no dia 4 de setembro de 1978, 24 dias antes de que o Santo Padre morresse. Foi uma audiência breve mas suficiente para que dom Juan Carlos, na saída, o definisse como um homem “simples, modesto, simpático e humilde”.

Mas, com quem mais tiveram relação foi com João Paulo II, cujo papado, de quase 27 anos, foi um dos mais cumpridos da história. A família real manteve frequentes contatos com o beato polonês, tanto no Vaticano como nas cinco viagens que realizou à Espanha. Também tiveram uma relação estreita com Bento XVI até a sua renúncia. Viram-no na Itália, onde os Reis o visitaram na residência em Castelgandolfo, e nas três viagens que o Pontífice alemão fez à Espanha.

Com Francisco ainda não tiveram a oportunidade de coincidir. Há um ano, quando se inaugurou o seu pontificado, o Rei estava se recuperando de uma cirurgia e os Príncipes das Astúrias participaram em nome da nação espanhola .

[Trad.TS]