Outro domingo de sangue na Nigéria

A nova violência anti-cristã atacou duas igrejas em Jos e Biu

| 1043 visitas

Godonu Anthony Gbenayon

ROMA, terça-feira, 12 de junho de 2012(ZENIT.org) – Na Nigéria, continua a violência contra os cristãos, domingo, 10 de junho, foram duas igrejas: a primeira situada na cidade de Jos e a segunda na cidade de Biu, no nordeste do país mais populoso da África, provocando alguns mortos e muitos feridos.

Na cidade de Jos, local do Estado Central de Plateau, um atentado suicida explodiu a entrada da Lord´s Chosen Church,em Rukuba Road, matando além do suicida uma mulher.

Na represália por parte dos jovens da região, foram mortas outras cinco pessoas, segundo a força de segurança da Special Task Force(STF).  De acordo com a nota da declaração assinada por um funcionário do STF, Mdheyla Marcus, 28 fiéis foram feridos na explosão, que causou o desabamento do prédio.

Outro ataque aconteceu na cidade de Biu, no estado de Borno, um grupo de homens assaltou uma igreja matando diversos fiéis. “Três homens armados entraram no perímetro da igreja e começaram a disparar contra as pessoas fora da igreja, antes de entrar no edifício principal para finalizar os assassinatos”, disse a testemunha ocular, Hamidu Wakawa, que no momento dos fatos estava na igreja. “Muitas pessoas foram mortas e feridas”, acrescentou.

Domingo, 3 de junho, um terrorista suicida entrou com o carro contra uma igreja na cidade de Yelwa, no estado de Bauchi, matando pelo menos 12 pessoas.

Ao mesmo tempo, a temida semana islâmica Boko Haram reivindicou a responsabilidade pelos últimos ataques e ameaças de novas violências contra os cristãos. Em uma conversa telefônica de um pressuposto porta voz, o grupo teria dito aos jornalistas da cidade de Maiduguri: “ Nós somos responsáveis pelo ataque contra uma igrejaem Biu. Lançamosestes ataques para demonstrar que a segurança nigeriana erra e para dissipar o anunciado de que fomos enfraquecidos pela repressão militar”. Os militantes da seita anti-ocidental mataram até agora mais de 1000 pessoas, dentre elas muitos cristãos.

(Tradução:MEM)