Padre John Cusick: a importância dos símbolos eucarísticos

Sacerdote de Chicago fala aos participantes do Congresso Eucarístico Internacional

| 1059 visitas

Junno Arocho

DUBLIN, quinta-feira, 14 de junho de 2012 (ZENIT.org) - O tema do quarto dia do 50º Congresso Eucarístico Internacional foi Sacerdócio e Ministério a Serviço da Comunidade. Entre os oradores, que destacaram diversos aspectos do ministério sacerdotal, do diaconado e da vida consagrada, um sacerdote de Chicago apresentou as origens e o significado da liturgia eucarística.

O padre John Cusick trabalhou o tema Católicos, por que fazemos o que fazemos. Cusick tem experiência com ministros jovens na arquidiocese de Chicago e falou sobre como atrair os católicos através de palavras, gestos e símbolos da liturgia, na esperança de lhes inspirar um profundo apreço pela eucaristia.

ZENIT entrevistou o padre, que compartilhou reflexões sobre a importância da eucaristia e sobre o que ela significa para os católicos na sociedade atual.

Por que é importante para os católicos conhecer as origens dos símbolos eucarísticos?

Pe. Cusick: Bom, se nós soubermos de onde viemos e por que fazemos o que fazemos, é como aquele provérbio que diz que “o conhecimento é poder”. Mas se não sabemos, vamos perder o tempo nos perguntando “o que é que eu estou fazendo aqui?”. Com mais conhecimento, as pessoas vão valorizar mais a eucaristia. Quando você compreende por que faz o que faz, isso incrementa o apreço. Também fortalece o serviço, a sacralidade na liturgia.

O que é mais significativo neste congresso eucarístico internacional, para você, pessoalmente?

Pe. Cusick: Hoje, antes de começar, eu falei com um homem que veio de Beirute, outro do Catar, gente de todas as partes do mundo. Nós viemos juntos com a mesma fé e não podemos esquecer isto, porque não existe uma Igreja católica americana, existe só a Igreja católica universal, e isto faz com que eu me sinta humilde.

Você tem muitos companheiros norte-americanos aqui no congresso. O que eles podem levar para os Estados Unidos, pensando no que receberam aqui e considerando as atuais divisões políticas?

Pe. Cusick:  Eu gostaria que eles levassem o que todos nós somos realmente. Acho que muitas vezes lutamos por assuntos secundários. Somos mais ou menos uma Igreja dividida politicamente, e não acho que isto vá mudar. Mas somo também um povo de fé, e eu acredito que isto é um ponto central para avaliarmos a Igreja. Eu preciso ter esta perspectiva cada vez que volto para a luta, e isto é importante para mim. Acho que se você vem da Coreia, do Qatar ou da Irlanda, ou de onde quer que seja que você vem, é isto o que todos nós precisamos escutar.

Para mais informações sobre o padre Cusick e seu trabalho: www.yamchicago.org

(Tradução:ZENIT)