Palavra suscita método para discipulado

Considerações no Sínodo de Dom Filippo Santoro, bispo de Petrópolis

| 801 visitas

CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 9 de outubro de 2008 (ZENIT.org).- Um dos bispos no Brasil membro da assembléia do Sínodo destacou essa terça-feira que a dinâmica da encarnação lança um desafio de método para o seguimento de Jesus.

«A Palavra feita carne indica não apenas um conteúdo salvífico, mas também um método mediante o qual os apóstolos começam a entender a si mesmos», afirmou em sua intervenção Dom Filippo Santoro, bispo de Petrópolis.

Segundo o arcebispo, «no encontro com Jesus se desperta algo que neles estava adormecido e eles começam a vislumbrar algo positivo para seus destinos.»

Dom Filippo explica que Dom Luigi Giussani, fundador de Comunhão e Libertação, trabalhou particularmente o tema do método suscitado pela encarnação. Esse método implica «seguir o acontecimento no qual o milagre se faz presente».

«Em todos os encontros bíblicos com João, André, Pedro, Zaqueu, a Samaritana... ao seguir esse homem se encontravam com outra coisa, com o destino, com o Pai».

De acordo com Dom Filippo, este método «continua depois da ressurreição, através do encontro com o corpo visível de Cristo, a Igreja, que tem Pedro como Cabeça».

Na Conferência Aparecida --recorda o prelado--, os bispos da América Latina, retomando do Discurso inaugural de Bento XVI, disseram: “A própria natureza do cristianismo consiste, portanto, em reconhecer a presença de Jesus Cristo e segui-lo”.

“Essa foi a maravilhosa experiência daqueles primeiros discípulos que, encontrando Jesus, ficaram fascinados e cheios de assombro frente a excepcional idade de quem lhes falava, diante da maneira como os tratava, coincidindo com a fome e sede de vida que havia em seus corações.”

“O evangelista João nos deixou por escrito o impacto que a pessoa de Jesus produziu nos primeiros discípulos que o encontraram, João e André.  Tudo começa com uma pergunta: “que procuram?” (Jo 1,38). A essa pergunta seguiu um convite a viver uma experiência: “venham e verão” (Jo 1,39). Esta narração permanecerá na história como síntese única do método cristão”, cita o bispo o número 244 do Documento de Aparecida.

Por esta razão --prosseguiu o bispo-- «na atual discussão sobre os ministérios, nos permitimos observar que apenas estes, por si mesmos, não suscitam o encontro, mas podem terminar aumentando a burocratização da Igreja».

«O que suscita o encontro é apenas a ação do Espírito Santo, que, como diz a Lumen Gentium 12, está na origem dos dons hierárquicos e dos dons carismáticos.»

«Por meio dos carismas, o Espírito mostra o rosto de Cristo atrativo ainda para o homem de hoje e suscita o seguimento da Palavra feita carne».

Ao encerrar a sua intervenção, Dom Filippo afirmou que, diante dos desafios do secularismo, do relativismo e das novas denominações religiosas, «a Igreja propõe os traços inconfundíveis da Pessoa de Cristo, o Verbo feito carne e resposta definitiva para o coração do povo de nosso tempo».

«Da força irresistível do Espírito nasce a conversão constante, o testemunho, o anúncio. O Santo Sínodo da Palavra é o Sínodo da missão», disse.