Papa a futuros representantes pontifícios: pastores antes que diplomatas

Para cumprir sua missão, assegura, devem ser amigos íntimos de Jesus

| 796 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 3 de junho de 2007 (ZENIT.org).- Antes que diplomatas, os representantes pontifícios devem ser amigos de Jesus e pastores, explicou Bento XVI.



Foi a mensagem que ele deixou neste sábado aos alunos da Academia Pontifícia Eclesiástica, onde se formam os sacerdotes que no futuro oferecerão seus serviços ao Papa nas nunciaturas apostólicas ou na Secretaria de Estado.

«Quem colabora com o sucessor de Pedro, pastor supremo da Igreja Católica -- disse-lhes -- está chamado a fazer todo o possível para ser, também ele, um autêntico pastor, disposto, como Jesus, Bom Pastor, a dar a vida por seu rebanho.»

«Que quem se aproxime de vós possa descobrir sempre o sacerdote que está em vós», desejou o Papa.

«Deste modo se manifestará a todos com clareza o caráter típico da diplomacia pontifícia», sublinhou. Uma diplomacia que, «em vez de defender interesses materiais ou visões parciais do ser humano, promove valores que surgem do Evangelho, como expressão dos elevados ideais proclamados por Jesus, Salvador único e universal.»

«Por outra parte, estes valores são também um patrimônio compartilhado em boa parte das demais religiões e culturas», assegurou.

Por este motivo, o Papa pediu a seus futuros representantes que «cultivem uma amizade íntima e pessoal com Jesus, buscando conhecer cada vez melhor e assimilar seus pensamentos e sentimentos».

«Quanto mais profundamente conheçais, mais firmemente permanecereis unidos a Ele e mais fiéis permanecereis a vossos compromissos sacerdotais.»

«Quanto mais fiéis sejais aos compromissos sacerdotais, melhor podereis servir os seres humanos, e mais fecundo será o diálogo com eles; a paz que proporeis em caso de tensão ou de conflito será mais acessível, e o consolo que, em nome de Cristo e de sua Igreja, oferecereis às pessoas indefesas e às que sofrem será mais confortante», afirmou.

Para poder entrar na Academia Pontifícia Eclesiástica, seus sacerdotes alunos devem ter a licenciatura em Direito Canônico.

A vida de vários Papas do século passado esteve intimamente ligada a esta Academia. Leão XIII, Bento XV, Pio XII e Paulo VI foram alunos ou professores desta instituição.