Papa aos Cavaleiros de Colombo

Mensagem por ocasião da 128ª Convenção Suprema

| 809 visitas

CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 5 de agosto de 2010 (ZENIT.org) – Apresentamos a mensagem de Bento XVI aos Cavaleiros de Colombo – dirigida pelo secretário de Estado, cardeal Tarcísio Bertone – por ocasião da 128ª Convenção Suprema da Ordem, realizada esta semana em Washington D.C. O texto foi difundido pelo site dos Cavaleiros de Colombo.

Caro Sr. Anderson,

Sua Santidade, o Papa Bento XVI, teve satisfação em saber que entre 3 e 5 de agosto de 2010 realiza-se a 128ª Convenção Suprema dos Cavaleiros de Colombo, em Washington D.C. Ele me pediu para transmitir sua calorosa saudação pessoal e bons desejos a todos os participantes, e de modo especial para o senhor, que comemora o décimo aniversário de sua eleição como o Cavaleiro Supremo.

O tema deste ano da Convenção – Eu sou guardião do meu irmão – chama a atenção para o espírito de solidariedade fraterna, que inspirou a fundação dos Cavaleiros de Colombo e continua a guiar suas múltiplas atividades. Foi a preocupação com o bem-estar dos trabalhadores e suas famílias, emanada do ensinamento de Cristo e da longa tradição da Igreja de engajamento social e serviço da caridade, que levou o Servo de Deus Pe. Michael McGivney e seus associados a organizar os Cavaleiros como uma benevolente e fraterna associação.

Desde o início, este compromisso, com o imperativo evangélico do amor ao próximo, tem guiado as várias atividades e programas da Ordem, e hoje é também visto com mais evidência nos gestos concretos de caridade e de serviço à comunidade realizados pelos membros dos conselhos locais em todo o mundo. Sua Santidade deseja, antes de tudo, expressar sua gratidão por esta grande expressão de solidariedade e de amor, que representa um testemunho excepcional da caridade de Cristo e da verdade salvífica do Evangelho.

“A disponibilidade para Deus abre à disponibilidade para os irmãos e para uma vida entendida como tarefa solidária e jubilosa” (Caritas in Veritate, 78), e isso, por sua vez, permite que os cristãos, nas circunstâncias concretas de sua vida quotidiana, tornem-se convincentes sinais da bondade de Deus e da atratividade da mensagem cristã.

O Santo Padre está pessoalmente grato pelo apoio generoso que os Cavaleiros têm dado a ele nos últimos meses, especialmente através de suas orações constantes e, em particular, da novena realizada na véspera do quinto aniversário de sua eleição. Ele continua profundamente consolado por este testemunho de fidelidade ao Vigário de Cristo em meio à turbulência destes tempos e pede que as orações continuem a ser oferecidas pela unidade da Igreja, a difusão do Evangelho e a conversão dos corações.

De modo particular, ele manifesta seu apreço aos membros da Ordem por sua solidariedade espiritual com o clero ao longo do recém-concluído Ano Sacerdotal. Aqui também, o tradicional espírito de fé e fraternidade dos senhores encontrou pronta expressão no desejo de permanecer, como “guardiães dos irmãos”, ao lado de seus sacerdotes e confirmá-los em sua vocação à santidade e ao generoso serviço do Povo de Deus. Diante dos ataques, muitas vezes injustos e infundados contra a Igreja e seus líderes, o Santo Padre está convencido de que a resposta mais eficaz é uma grande fidelidade à Palavra de Deus, uma busca mais firme da santidade e um maior compromisso com a caridade na verdade por parte de todos os fiéis.

Ele pede que os Cavaleiros perseverem em seu testemunho de fé e caridade, na confiança serena em que, como a Igreja vive este período de purificação, sua luz virá para brilhar ainda mais reluzente (cf. Mt 5, 15-16) perante os homens e mulheres de mente justa e boa vontade. Na encíclica Caritas in Veritate, o Santo Padre observou a atual crise econômica como uma recordação de que nenhuma área da atividade humana está isenta da responsabilidade moral (n. 2).

Num tempo em que as normas morais fundamentais, baseadas na verdade e inscritas no coração humano, são cada vez mais questionadas e, muitas vezes, derrubadas pela legislação positiva, ele está agradecido pelos esforços dos Cavaleiros, em colaboração com outros homens e mulheres de boa vontade, em defender a razoabilidade da doutrina moral da Igreja e sua importância para uma boa, justa e duradoura ordem social.

Ele agradece uma vez mais a Ordem por seu testemunho perante a santidade da vida humana e a autêntica natureza do casamento e pelos esforços para promover nos leigos católicos uma maior consciência da necessidade de superar toda separação entre a fé que professam e as decisões diárias que moldam suas vidas como indivíduos e na vida da sociedade como um todo.

Com estes sentimentos e com grande afeto no Senhor, Sua Santidade encomenda todos os reunidos em Washington à intercessão amorosa de Maria, Mãe da Igreja. Aos membros do Conselho Supremo e a todos os Cavaleiros e suas famílias, cordialmente, ele envia a Bênção Apostólica, como garantia de abundantes graças celestes.

Com meus bons desejos pelo sucesso da reunião, dirijo meus sinceros cumprimentos,

Cardeal Tarcisio Bertone

Secretário de Estado

[Traduzido do original inglês por Alexandre Ribeiro]