Papa aos novos guardas suíços: viver catolicidade eclesial

“Guardiões de uma tradição”

| 771 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 10 de maio de 2010 (ZENIT.org). - O Papa Bento XVI dirigiu-se, na última sexta-feira, aos novos recrutas da Guarda Suíça, que juraram fidelidade à Santa Sé na quinta-feira, reiterando sua estima e convidando-os a viver a catolicidade da Igreja em sua nova missão.

O Papa recebeu os 39 recrutas e seus familiares na Sala Clementina, juntamente com os demais membros da Guarda Suíça Pontifícia, e dirigiu-se a eles em alemão, italiano e francês, as três línguas oficias da Confederação Helvética.

Os novos guardas fizeram seu juramento durante a cerimônia em memória do sacrifício do 147 soldados, mortos defendendo o Papa Clemente VII durante o saque de Roma, de 1527.

"Podeis vos orgulhar com razão do fato de que, com o juramento que prestastes, passastes a integrar um corpo de guarda com uma longa história - disse o Papa. O que hoje vos é transmitido vos torna guardiões de uma tradição e portadores de um conhecimento prático a vós confiado. É vossa missão dar-lhes continuidade e fazê-los valer."

Para o Papa, a Guarda Suíça constitui "um verdadeiro sustento", pois seu serviço é, "de maneira indireta, mas real", associado "ao serviço de Pedro na Igreja".

O Pontífice exortou os novos membros da Guarda Suíça "a descobrirem no rosto de cada homem e de cada mulher o rosto de um peregrino buscando encontrar, ao longo da vida, um outro rosto, através do qual lhes seja dado um sinal vivo do Senhor de toda a vida e toda a graça".

"Assim, vosso serviço em favor do ministério petrino vos dará um senso mais vivo da catolicidade, bem como uma percepção mais profunda da dignidade do homem que passa por vós que busca em seu íntimo o caminho rumo à vida eterna", concluiu o Papa.