Papa assistirá a concerto em lembrança da 2ª Guerra Mundial

No dia 8 de outubro, no auditório da Via da Conciliação

| 953 visitas

CASTEL GANDOLFO, terça-feira, 29 de setembro de 2009 (ZENIT.org).- Bento XVI assistirá, no dia 8 de outubro, no auditório da Via da Conciliação, junto ao Vaticano, ao concerto "Jovens contra a guerra".

O ato cultural faz parte das celebrações do 70º aniversário do começo da 2ª Guerra Mundial, informou nesta terça-feira a Sala de Imprensa da Santa Sé.

A orquestra alemã InterRegionales JugendsinfonieOrchester (IRO), dirigida por Jochem Hochstenbach e Wolfgang Gönnenwein, interpretará músicas de Gustav Mahler e Felix Mendelssohn-Bartholdy.

A meio-soprano Michelle Breedt e o ator austríaco Klaus Maria Brandauer recitarão textos de Johann Wolfgang von Goethe, Heinrich Heine, Paul Celan, Berthold Brecht e duas poesias escritas por crianças, inspiradas no "campo-gueto" de Theresienstadt.

O concerto é organizado pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, pela Comissão vaticana para as Relações com o Judaísmo, pela embaixada da Alemanha na Santa Sé e pelo Fórum Cultural Europeu da associação cultural de Mainau.

O ato se enquadra no projeto "1939-2009: 70 anos do começo da 2ª Guerra Mundial", que será apresentado à mídia nesta quinta-feira, 1º de outubro, na Sala João Paulo II, da Sala de Imprensa da Santa Sé.

Na apresentação, intervirá o presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, cardeal Walter Kasper, e o embaixador da República Federal da Alemanha na Santa Sé, Hans-Henning Horstmann.

A importância de recordar os acontecimentos da 2ª Guerra Mundial foi destacada neste mês por Bento XVI.

Ao finalizar a oração do Ângelus no último dia 6 de setembro, na cidade italiana de Viterno, Bento XVI afirmou que "não podemos deixar de lembrar dos dramáticos fatos que deram origem a um dos mais terríveis conflitos da história".

Também pediu "que a memória destes acontecimentos nos leve a rezar pelas vítimas e por aqueles que ainda possuem as feridas no corpo e no coração" (cf. Zenit, 6 de setembro de 2009).