Papa confia paz à intercessão de mártires do nazismo

Une-se à celebração de beatificação de um sacerdote alemão

| 987 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 13 de junho de 2011 (ZENIT.org) - O Papa Bento XVI quis confiar a paz no mundo à intercessão daqueles cristãos que foram assassinados pela sua fé nos campos de concentração.

Esta foi sua mensagem ao concluir a oração do Regina Caeli ontem, da janela dos seus aposentos, com os peregrinos reunidos na Praça de São Pedro para a solenidade de Pentecostes.

O Pontífice quis mostrar sua própria alegria pela beatificação, que se realiza hoje, na diocese de Dresde, de um compatriota seu, o jovem sacerdote Alois Andritzki, martirizado em Dachau em 1943.

O jovem presbítero, que tinha apenas 28 anos, foi preso e assassinado com uma injeção letal por suas “opiniões contrárias” ao regime nazista e pelo seu apostolado com os jovens.

Bento XVI quis reconhecer “esta heroica testemunha da fé, que se une às filas dos que deram a vida em nome de Cristo nos campos de concentração”.

Da mesma forma, confiou à intercessão desses mártires, “hoje, que é Pentecostes, a causa da paz no mundo”.

“Que o Espírito santo inspire valentes propósitos de paz e mantenha o compromisso de levá-los adiante, para que o diálogo prevaleça sobre as armas e o respeito à dignidade do homem supere os interesses partidários”, afirmou.

“Que o Espírito Santo, que é vínculo de comunhão, volte a encaminhar os corações desviados pelo egoísmo e ajude toda a família humana a descobrir e proteger sua unidade fundamental.”