Papa convida a descobrir dimensão religiosa da ecologia

Recebe os promotores do pavilhão vaticano na Expo Zaragoza 2008

| 1215 visitas

Por Jesús Colina

CASTEL GANDOLFO, quinta-feira, 10 de setembro de 2009 (ZENIT.org).- Bento XVI fez um convite, nesta quinta-feira, a descobrir a dimensão espiritual e religiosa da defesa do ambiente e da natureza.

Escutaram sua proposta os promotores do pavilhão da Santa Sé na Exposição Internacional realizada em 2008, em Zaragoza, com o tema “Água e desenvolvimento sustentável”, que foram recebidos em audiência pelo Papa. Eles estavam acompanhados pelo arcebispo da cidade, Dom Manuel Ureña Pastor, e pelo embaixador da Espanha na Santa Sé, Francisco Vásquez.

Após recordar que a presença vaticana na exposição “foi uma das mais visitadas e apreciadas”, o Papa esclareceu que, “com esta iniciativa, procurou-se oferecer aos seus numerosos visitantes uma oportuna reflexão sobre a importância e o valor primordial que a água tem para a vida do homem”.

“Mediante sua participação na exposição, a Santa Sé quis, além disso, manifestar não somente a imperiosa necessidade de sempre proteger o ambiente e a natureza, mas também descobrir sua dimensão espiritual e religiosa mais profunda”, acrescentou.

“Hoje como nunca – segundo Bento XVI –, é preciso ajudar as pessoas a que saibam ver na criação algo mais que uma simples fonte de riqueza ou de exploração nas mãos do homem.”

“Quando Deus, com a criação, dá ao homem as chaves da terra, espera dele que saiba usar deste grande dom fazendo-o frutificar de forma responsável e respeitosa.”

“O ser humano descobre o valor intrínseco da natureza se aprende a vê-la como o que é na realidade: expressão de um projeto de amor e de verdade que nos fala do Criador e do seu amor à humanidade, e que encontrará sua plenitude em Cristo, no final dos tempos”, indicou, fazendo referência à sua nova encíclica, Caritas in veritate.

“Neste sentido, é oportuno recordar mais uma vez a estreita relação que existe entre o cuidado do meio ambiente e o respeito às exigências éticas da natureza humana, já que quando se respeita a ecologia humana na sociedade, também a ecologia ambiental se beneficia”, continuou explicando o Papa.

Quase meio milhão de visitas

O Papa se despediu dos seus hóspedes confiando-os “à intercessão de Nossa Senhora do Pilar, que vê seus pés banhados pelas caudalosas água do rio Ebro”.

O pavilhão da Santa Sé na Exposição Internacional de Zaragoza 2008 recebeu, em 93 dias, um total de 453.168 visitas.

Em total, expunha 39 obras-primas de arte, dentre as quais a favorita foi “O Batismo de Cristo”, de El Greco, procedente da Fundação Casa Ducal de Medinaceli.