Papa demonstra proximidade ao Japão após terremoto

Igreja promete ajudar as vítimas

| 11040 visitas

CIDADE DO VATICANO/TOKIO, sábado, 11 de março de 2011 (ZENIT.org) - Bento XVI expressou sua “profunda tristeza” pelos “trágicos efeitos” do terremoto seguido de tsunami que atingiu o Japão nessa sexta-feira. O pontífice demonstrou sua proximidade “neste momento difícil”.

O Papa enviou um telegrama ao presidente da Conferência Episcopal do Japão, Dom Leo Ikenaga, através do secretário de Estado, cardeal Tarcisio Bertone.

No texto, o pontífice lamentou a tragédia, disse que reza “pelos mortos e invoca as bênçãos divinas da fortaleza e o consolo sobre suas famílias e amigos”.

Por último, expressa sua “solidariedade na oração a todos os que estão proporcionando resgate, auxílio e apoio às vítimas deste desastre”.

Neste sábado, o governo japonês elevou para mais de 500 o número de mortos pelo terremoto de magnitude 8,9. O evento foi seguido de um tsunami que devastou a região nordeste do país.

O país ainda vive a tensão de novos problemas advindos da catástrofe devido ao risco de novos tsunamis. Há também risco de vazamento de radiação em uma usina nuclear.

O Japão confrontou na manhã deste sábado a devastação provocada pela tragédia.  Na costa nordeste do país, ainda há incêndios e cidades parcialmente submersas. Pelo menos 700 pessoas estão desaparecidas e 1.100 se feriram.

“Estamos ainda em estado de choque com o que aconteceu. As notícias são confusas, mas a diocese mais afetada é a de Sendai”, afirmou à Agência Fides o padre Koichi Otaki, sacerdote japonês e chanceler da diocese de Niigata.

Dom Isao Kikuchi, presidente da Cáritas no Japão, afirmou que a comunidade católica japonesa, embora pequena, não faltará ao compromisso de solidariedade com as vítimas.