Papa e patriarca de Moscou junto às vítimas dos atentados

Telegrama do Pontífice ao presidente da Federação Russa

| 1127 visitas

CIDADE DO VATICANO/MOSCOU, terça-feira, 30 de março de 2010 (ZENIT.org).- Bento XVI e o patriarca ortodoxo de Moscou manifestaram sua proximidade às vítimas dos atentados ocorridos ontem na capital russa.

Hoje, diante de um monumento de flores, velas e símbolos, na estação Lubianka, os moscovitas se reuniram para rezar pelas 39 pessoas falecidas e pelos 70 feridos nas duas estações de metrô da linha vermelha, a mais antiga e central.

O Papa enviou um telegrama ao presidente da Federação Russa, Dimitri Medvedev, para expressar sua “profunda dor e firme reprovação pelos cruéis atos de violência”.

O Santo Padre deseja manifestar sua “solidariedade, proximidade espiritual e pêsames às famílias das vítimas”.

“Asseguro fervorosas orações se sufrágio por estas vidas perdidas, enquanto invoco o consolo celestial para os que sofrem a trágica perda; e envio minha bênção, pensando em particular nos feridos”, escreve o Papa.

Por sua parte, o patriarca Kirill, de Moscou e de todas as Rússias, convidou a não responder “a este perigo com medo ou pânico, nem com exasperação”.

“Respondamos com a unidade do nosso povo, com nossa firme vontade de deter os terroristas e os que os apoiam, financiam ou justificam. O castigo de Deus chegará a eles, e a justiça humana também”, acrescentou.

O patriarca pediu aos sacerdotes que visitassem as vítimas nos hospitais.