Papa e presidente do México falam sobre migração, populações indígenas e narcotráfico

Calderón pela primeira vez no Vaticano desde que chegou à presidência

| 701 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 4 de junho de 2007 (ZENIT.org).- A migração, a situação das populações indígenas e a luta contra a violência e o narcotráfico converteram-se em temas centrais da audiência que Bento XVI concedeu nesta segunda-feira ao presidente do México, Felipe de Jesús Calderón Hinojosa.



Após conversar em privado durante 22 minutos em espanhol com o Papa, em sua biblioteca privada, Calderón, que visita o Vaticano pela primeira vez desde sua chegada à presidência, em 1º de dezembro de 2006, encontrou-se com o cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado, acompanhado pelo arcebispo Dominique Mamberti, secretário para as relações com os Estados.

O presidente do México renovou ao bispo de Roma o convite a visitar seu país.

Nos encontros do mandatário mexicano com o Papa e seus colaboradores, informa uma nota emitida pela Sala de Informação da Santa Sé, «foram analisados antes de tudo alguns aspectos da vida» do México, «como a imigração, as populações indígenas, a luta contra a violência e o narcotráfico, o ambiente».

«Falou-se também da situação da Igreja Católica, considerando sobretudo os significativos passos, já realizados ou que se devem realizar nas relações com o Estado», acrescenta a nota vaticana.

Nos encontros, definidos pela Santa Sé como «cordiais», aconteceu também «um intercâmbio de opiniões sobre temas relativos à atualidade internacional», prestando atenção especial à «eminente Cúpula do G-8, da qual o presidente Calderón participará como convidado especial».

O presidente chegou acompanhado de sua esposa, Margarita Zavala, e de seus três filhos: Maria, Luis Felipe e João Paulo.

No momento do intercâmbio de presentes, o presidente mexicano deu ao Santo Padre dois candelabros de cobre do artesanato indígena de Michoacán e uma fotografia de quando Calderón assumiu a presidência, acompanhado por sua família. O pontífice, por sua vez, deu-lhe as medalhas de seu pontificado.