Papa em Sta. Marta: recitar o Credo com o coração e não como papagaios

Francisco recorda que a fé exige duas atitudes: confessar Deus e confiar em Deus

Roma, (Zenit.org) Redacao | 688 visitas

O Papa chamou atenção para os “cristãos derrotados”, cristãos pela metade” durante a homilia em Santa Marta nesta manhã de sexta-feira. Por isso, ele recordou que “a fé tudo pode” e “vence o mundo”, mas é necessário confiar em Deus.

O centro da homilia foi a primeira carta de São João, em que o apóstolo insiste sobre a palavra que, para ele, é a expressão da vida cristã: “permanecer no Senhor”, para amar a Deus e o próximo. Este “permanecer no amor” de Deus é obra do Espirito Santo e da nossa fé, e produz um efeito concreto. Francisco afirmou que “quem permanece em Deus, quem foi gerado por Deus, que permanece no amor, vence o mundo e a vitória é a nossa fé. Da nossa parteéa fé. Da parte de Deus, o Espirito Santo, que realiza esta obra da graça. É forte! Esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé! Nossa fé pode tudo! É a vitória! E seria bom se repetíssemos, a nós mesmos, porque muitas vezes somos cristãos derrotados. A Igreja está cheia de cristãos derrotados, que não acreditam nisto: que a fé é vitória; que não vivem esta fé. Se não vivem essa fé,existea derrota, e vence o mundo, opríncipedo mundo”.

O Papa recordou que Jesus louvou muito a fé da hemorroíssa, da cananeia e do cego e dizia que quem tema fé do tamanho deum grãode mostarda pode mover montanhas. “Esta fé exige duas atitudes: confessar e confiar. Sobretudo, confessar” – destacou o Santo Padre.

A fé significa confessar Deus, mas o Deus que se revelou a nós, desde os tempos dos nossos pais até hoje; o Deus da história.É isto que recitamos todos os dias no Credo. Uma coisa é recitar o Credo do coração e outra coisa como papagaios, não é? Creio, creio em Deus, creio em Jesus Cristo, creio ...Eu creio no que digo? Esta confissão de fé é verdadeira ou eu digo decorado,porque se deve dizer? Ou creio parcialmente? Confessar a fé! Inteira, não apenas uma parte! E devemos custodiar esta fé, como chegou a nós através da tradição: toda a fé! E como posso saber se confesso bem a fé? Através de um sinal: quem confessa bem a fé, toda a fé, tem a capacidade de adorar, adorar a Deus”.

O Papa continuou destacando que “nós sabemos como pedir a Deus, como agradecer a Deus, mas adorar a Deus, louvar a Deus, éalgomais! Somente quem tem esta fé forte é capaz deadoração”.

O Santo Padre acrescentou: “Eu me atrevo a dizer que o termômetro da vida da Igreja está um pouco baixo nesse sentido: há poucos com capacidade de adoração, “não temos muito, alguns sim...” E isso acontece porque “na confissão da fé não estamos convencidos, ou estamos convencidos parcialmente”. Por isso- explicou o Papa- a primeira atitude é confessar a fé e guardá-la. A segunda é “confiar”.

Deste modo, concluiu o Santo Padre: “o homem ou a mulher que tem fé, confia em Deus: se entrega! Paulo, num momento escuro de sua vida, dizia: 'Eu sei bem em quem tenho acreditado'. Em Deus! Em Jesus Cristo! Confiar: isso nos leva a esperança. Assim como a confissão da fé nos leva à adoração e ao louvor a Deus, confiar em Deus nos leva a uma atitude de esperança. Existem muitos cristãos com uma esperança aguada, pouco forte: uma esperança fraca. Por quê? Porque não têm a força e acoragem deconfiar no Senhor. Mas se nós cristãos cremos confessando a fé, e também a guardamos, custodiando-a, e confiando em Deus, no Senhor, seremos cristãos vencedores. E esta é a vitória que venceu o mundo: a nossa fé!”

(MEM)