Papa enfatiza necessidade do justo descanso para corpo e espírito

Despede-se dos peregrinos no Vaticano, na véspera de sua partida para as Dolomitas

| 429 visitas

CIDADE DO VATICANO, domingo, 8 de julho 2007 (ZENIT.org).- Dom de Deus que permite recuperar-se física e espiritualmente para o caminho da vida: é assim que Bento XVI descreveu as férias.



E em sua intervenção antes de rezar o Ângelus, aos milhares de fiéis e peregrinos presentes da Praça de São Pedro, no Vaticano, desejou-lhes -- «especialmente para aqueles que sintam maior necessidade disso» -- que possam «ter um pouco de férias», precisamente «para revigorar as energias físicas e espirituais e recuperar um saudável contato com a natureza».

É o que o Santo Padre terá oportunidade de fazer, de 9 a 27 de julho, em Lorenzago di Cadore, onde será «hóspede do bispo de Treviso na casa que acolheu o venerado João Paulo II» em seis ocasiões, entre 1987 e 1998.

«O ar de montanha me fará bem e poderei me dedicar mais livremente à reflexão e à oração», disse na manhã deste domingo, como despedida.

A citada localidade se encontra na região do Veneto, no nordeste da Itália. O Papa se hospedará em uma casa, cercada de bosque, em plenas Dolomitas.

O lugar se situa dentro da diocese de Belluno-Feltre, na qual nasceu João Paulo I.

Bento XVI elogiou, neste domingo, o ambiente da montanha, que «em particular, evoca o ascenso do espírito até o alto, a elevação até a ‘alta medida’ da nossa humanidade, que lamentavelmente a vida cotidiana tende a rebaixar».

Neste contexto, enviou sua saudação aos jovens que, nesse momento, concluíam a quinta peregrinação -- participando da Eucaristia a 3.000 metros de altitude -- à Cruz do Adamello (maciço alpino entre as províncias italianas de Bréscia e Trento), onde João Paulo II também esteve duas vezes.

A iniciativa bianual, promovida pela pastoral juvenil da Conferência Episcopal italiana, chegou assim à sua quinta edição.

O Papa iniciou o Ângelus invocando a proteção de Nossa Senhora para que, «tanto na missão como no justo descanso», «possamos cumprir nosso compromisso com alegria e com fruto na vinha do Senhor».

Em sua saudação em Polonês, sublinhou que «o tempo de férias é um dom de Deus». «Graças ao descanso -- reconheceu --, recuperamos as forças para o caminho de nossa vida.»

«Àqueles que não podem deixar o trabalho -- penso em particular nos agricultores empenhados nas colheitas -- desejo que possam gozar dos frutos de seu esforço», e que «nesse trabalho também possam ter algum período de descanso e lazer», expressou Bento XVI.

Nas próximas três semanas se suspendem as audiências gerais das quartas-feiras, No domingo que vem, o Papa rezará o Ângelus no Castelo de Mirabello. No domingo seguinte, na Praça de Lorengazo di Cadore.

O Santo Padre voltará de sua estadia nas Dolomitas no dia 27 de julho. Ele se transladará, como de costume, ao Palácio Apostólico de Castel Gandolfo (a trinta quilômetros de Roma). As audiências gerais voltarão a acontecer na quinta-feira 1º de agosto.

Antes de empreender este programa especial de verão, neste domingo, ele renovou o encontro com «todos os jovens italianos para os dias 1º e 2 de setembro, em Loreto». No santuário mariano dessa cidade italiana, Bento XVI se encontrará com a juventude católica italiana, à qual se espera em grande número.