Papa espera que visita de Aram I a Roma seja «passo a mais» rumo à unidade

O Catholicos da Cilícia dos Armênios participou da audiência geral

| 741 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 26 de novembro de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI dirigiu uma cordial saudação em inglês a Sua Santidade Aram I, patriarca (Catholicos, como é conhecido) da Cilícia dos Armênios, durante a audiência geral desta quarta-feira, realizada na Sala Paulo VI. 

O Papa desejou que sua visita fosse «um passo a mais» rumo à unidade entre a Igreja Católica e a Igreja Apostólica Armênia. 

Aram I, que se encontra nestes dias em Roma em peregrinação aos túmulos dos apóstolos Pedro e Paulo, esteve presente junto com seu séqüito no encontro do Papa com milhares de peregrinos, sentado à direita da sede papal. 

Ao final da audiência, o Catholicos e o Papa, que já haviam tido uma reunião ecumênica e de oração nesta segunda-feira no Palácio Apostólico vaticano, trocaram uma cordial saudação. 

O Papa se dirigiu em inglês a Aram I e lhe assegurou que sua visita «significa uma ocasião significativa para reforçar os laços de unidade que já existem entre nós, que caminhamos rumo à comunhão plena». 

Esta unidade é, ao mesmo tempo, acrescentou o Papa, «tanto o objetivo fixado para todos os seguidores de Cristo, como um dom que é preciso implorar diariamente ao Senhor». 

Bento XVI pediu aos presentes que rezassem para que se alcance logo «a plenitude dessa unidade que todos desejamos». 

Neste sentido, expressou ao Catholicos sua gratidão pelo papel desempenhado por este no diálogo ecumênico, «especialmente na Comissão Conjunta Internacional para o Diálogo Teológico entre a Igreja Católica e as Igrejas Orientais Ortodoxas, e no Conselho Mundial das Igrejas». 

Também fez alusão a Gregório o Iluminador, santo fundador da Igreja Armênia, cuja estátua é uma das que enfeitam a fachada da Basílica de São Pedro. 

A presença desta estátua em Roma, afirmou o Papa, «evoca os sofrimentos que teve de suportar para levar o povo armênio ao cristianismo, mas também recorda os muitos mártires e confessores da fé cujo testemunho trouxe ricos frutos à história de seu povo». 

A Igreja Apostólica Armênia é a primeira Igreja nacional da história. Separou-se do ramo principal do cristianismo em 451, ao rejeitar as decisões do Concílio de Calcedônia. 

No mundo há mais de cinco milhões de cristãos armênios. O patriarcado (catolicado) da Cilícia, com sede em Antelias (Líbano) é a única jurisdição da Igreja Apostólica Armênia que não está sob a jurisdição temporal do patriarca supremo de Etchmiadzin (na Armênia), ainda que espiritualmente sim.