Papa estará na reunião mundial sobre segurança alimentar

Acontecerá em novembro na sede da FAO em Roma

| 1211 visitas

Por Patrícia Navas 

CIDADE DO VATICANO, terça-feira, 13 de outubro de 2009 (ZENIT.org).- A Reunião Mundial sobre Segurança Alimentar que acontecerá em novembro em Roma no contexto da 36ª Conferência geral da FAO contará com a presença do Papa.

“O Santo Padre Bento XVI viajará à sede da FAO (Roma) por ocasião da abertura da Reunião Mundial sobre Segurança Alimentar”, informa um comunicado publicado nesta terça-feira pela Sala de Informação da Santa Sé. 

A Reunião Mundial sobre Segurança Alimentar tem como objetivo acordar algumas medidas básicas para enfrentar a situação de insegurança alimentar mundial, que se agravou com a crise econômica. 

Acontecerá em Roma, de 16 a 18 de novembro, sob proposta de Jacques Diouf, diretor geral do organismo das Nações Unidas para a agricultura e a alimentação, FAO.

Ele mesmo afirmou, ao anunciar a realização deste encontro: “esta crise silenciosa da fome, que afeta um a cada seis seres humanos, supõe um sério risco para a paz e a segurança mundiais; precisamos criar com urgência um amplo consenso para a erradicação rápida e completa da fome no mundo”.

O número de pessoas que passam fome chegou neste ano aos bilhões, segundo a FAO. 

Os elevados preços dos alimentos nos países em vias de desenvolvimento se mantêm e o número de famintos aumentou nos últimos anos.

A Santa Sé confirmou a presença do Papa na abertura da Reunião, em 16 de novembro na sede da FAO em Roma, depois da intervenção do diretor geral da FAO no Sínodo da África, nesta segunda-feira pela tarde.

Diouf falou sobre a África, suas riquezas e suas necessidades, e explicou aos padres sinodais os esforços que a FAO está realizando para garantir a segurança alimentar. 

“A segurança alimentar é indispensável para a redução da pobreza, a educação das crianças, a saúde da população e a segurança do mundo, mas também para um crescimento econômico duradouro – afirmou. Esta condiciona a estabilidade e a segurança do mundo”. 

Sobre a fome e a má nutrição no mundo, Diouf declarou que “a situação atual é ainda mais preocupante que em 1996”. 

“A insegurança aumentou em todo o mundo durante os últimos três anos devido à crise mundial de 2007 e 2008, impulsionada pelos preços dos alimentos e exacerbada pela crise financeira e econômica que aflige o mundo desde há mais de um ano”, disse. 

E acrescentou: “pela primeira vez na história da humanidade, o número de pessoas que padecem de fome chegou aos bilhões, 15% da população mundial.