Papa estimula novo humanismo atento ao homem frágil

Durante a Missa celebrada em Cassino

| 675 visitas

CASSINO, segunda-feira, 25 de maio de 2009 (ZENIT.org).- Bento XVI alentou neste domingo os esforços por criar um novo humanismo fiel à tradição beneditina e atento ao homem frágil, na homilia que pronunciou na missa da qual participaram 20 mil pessoas, na Praça Bento XVI, da cidade italiana de Cassino, onde se encontrava em visita pastoral.

“No atual esforço cultural tendente a criar um novo humanismo, fiel à tradição beneditina, vós tentais justamente sublinhar também a atenção ao homem frágil, fraco, às pessoas deficientes e aos imigrantes”, reconheceu.

“Não é difícil perceber que vossa comunidade, esta porção da Igreja que vive ao redor do Monte Cassino, é herdeira e depositária da missão, impregnada do espírito de São Bento, de proclamar que em nossa vida ninguém nem nada devem tirar Jesus do primeiro lugar”, disse.

“A missão é construir uma nova humanidade, em nome de Cristo, com a insígnia da acolhida e da ajuda aos mais frágeis”, acrescentou.

Bento XVI também pediu solidariedade para os trabalhadores que se encontram em dificuldade, e medidas concretas para enfrentar a crise de desemprego.

Sugeriu aos responsáveis dos assuntos públicos e aos empresários a criação de novos postos de trabalho, “salvaguardando, assim, também a família”.

E assegurou aos que sofrem por causa do trabalho ou por sua falta: “A Igreja não vos abandona”. “Humanizar o mundo trabalhista é típico da alma do monaquismo”, acrescentou.

Recordou a grande influência que exerceu sempre, nesse território, o Mosteiro de Monte Cassino, fundado por São Bento no século VI.

“A espiritualidade beneditina, que bem conheceis, propõe um programa evangélico sintetizado no lema: Ora et labora et lege (oração, trabalho e cultura)”, disse.

Ao referir-se à Ascensão, o Santo Padre explicou que “nós nos aproximamos do céu, e mais ainda, entramos no céu, na medida em que nos aproximamos de Jesus e entramos em comunhão com Ele”.

O Papa também agradeceu poder inaugurar, ontem em Cassino, a Casa da Caridade, para imigrantes sem lar, “onde se constrói com fatos uma cultura atenta à vida”.