Papa: Eucaristia faz viver fielmente a comunhão com Deus

A Cruz é mistério de amor e de salvação, explica na Missa de Corpus Christi

| 1460 visitas

ROMA, quinta-feira, 11 de junho de 2009 (ZENIT.org).- Bento XVI afirmou nesta quinta-feira, Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, que a Eucaristia, ao renovar o sacrifício da Cruz, “nos faz capazes de viver fielmente a comunhão com Deus”.

Na homilia da Missa que celebrou no início da noite na Basílica de São João de Latrão, o Papa afirmou que as palavras “este é o meu corpo, este é o meu sangue", tomadas do Evangelho de Marcos, “ressoam com notável poder evocativo hoje”.

Estas palavras “conduzem-nos ao Cenáculo e trazem a atmosfera espiritual daquela noite, quando, celebrando a Páscoa com os seus, o Senhor antecipou no mistério o sacrifício que seria consumado no dia seguinte sobre a Cruz”.

Ao afirmar “este é o meu sangue", Jesus “se apresenta como o verdadeiro e definitivo sacrifício, no qual se realiza a expiação dos pecados, o que, nos ritos do Antigo Testamento, não fora ainda plenamente realizado”.

Com o acréscimo da expressão "o sangue da aliança", explicou o Papa, Jesus “deixa claro que, graças a sua morte, finalmente se torna efetiva a aliança feita por Deus com seu povo”.

Apesar das transgressões de Israel, exemplificadas por episódios como o da construção do bezerro de ouro, o Senhor não abdicou de sua promessa. Por meio dos profetas, chamou a atenção para a dimensão interior da aliança.

Mas foi durante a Última Ceia que brotou definitivamente a nova aliança, não confirmada por sacrifícios de animais, “mas com o seu sangue, tornado ‘sangue da nova aliança’”.

“Na Cruz, Jesus é ao mesmo tempo vítima e sacerdote: vítima digna de Deus porque sem mancha, e sumo sacerdote que oferece a si mesmo, sob o impulso do Espírito Santo, e intercede por toda a humanidade.”

“A Cruz é, portanto –explicou o Papa–, mistério de amor e de salvação, que purifica a consciência da ‘opere morte’, isto é, do pecado, e santifica-nos, esculpindo a nova aliança em nossos corações; a Eucaristia, renovando o sacrifício da Cruz, nos faz capazes de viver fielmente a comunhão com Deus.”