Papa Francisco confirma a liturgia do Caminho Neocatecumenal

Reafirmando a validade dos Estatutos aprovados em 2008

Roma, (Zenit.org) Junno Arocho | 3227 visitas

A Secretaria de Estado enviou, no passado 3 de abril, uma carta do Santo Padre a Kiko Argüello, iniciador, junto com Carmen Hernandez, do Caminho Neocatecumenal, confirmando a praxe litúrgica do Caminho sobre a Eucaristia e sobre a Vigília Pascal.

Na Carta, o Santo Padre confirma que “o que se refere a celebração da Vigília Pascal e da Eucaristia dominical, (…) os artigos 12 e 13 [do Estatuto], lidos em sua totalidade, constituem, portanto, o quadro normativo de referência”.

Esta carta é a resposta de uma carta enviada anteriormente por Kiko Arguello onde manifestava ao Papa a sua preocupação por algumas interpretações negativas sobre as palavras do Santo Padre dirigidas a um grupo de 12.000 neo catecúmenos no dia 1º de fevereiro de 2014.

Em sua resposta, Papa Francisco nao confirma a total validade do Estatuto do Caminho Neo catecumenal, mas afirma de conhecer “muito bem o dinamismo evangelizador do Caminho Neo catecumenal, a experiência de verdadeira conversão na vida de muitos fiéis e bons frutos graças a presença da comunidade em todo o mundo”

O Papa “confirma a sua proximidade paternal” e “ a sua afetuosa palavra de encorajamento a Kiko Argüello e a todos os que participam do Caminho”. E conclui, enquanto “manda de todo o coração a vós, da equipe internacional e a todos os membros do Caminho Neocatecumenal a Bênção Apostólica”.

ZENIT pediu a Kiko Argüello de explicar-nos o significado desta carta.

Kiko: Durante a audiência que o Papa teve no dia 1º de fevereiro, Francisco enviou 450 famílias em missão à China, Vietnã, e Mongólia, como em muitas outras cidades na Europa e no mundo.

Nas indicações dadas às famílias, cheio de alegria ao ver tantos filhos, disse que às vezes, para buscar a comunhão com a diocese onde as famílias foram enviadas, era possível deixar de lado “alguns pormenores”, em função da comunhão ecclesial com a diocese. Estamos de acordo que a comunhão ecclesial é muito importante, mas estas palavras foram lidas fora de contexto e interpretadas negativamente por alguns inimigos do Caminho: imediatamente retiraram a Eucaristia celebrada em comunidade no sábado pela noite, vigília do domingo, e eliminaram a Vigília Pascal da comunidade que é um dano terrível.

Esses desdobramentos me levaram a escrever uma carta ao Papa exprimindo as minhas preocupações. Porque o problema é: quem decide quais são os detalhes que podem ser suspensos? Talvez os estatutos aprovados pela Santa não são mais válidos?

Por causa dessas interpretações, alguns párocos e bispos começaram a mudar a praxe da liturgia do Caminho Neocatecumenal que foi aprovado em 2008 por cinco Congregações da Santa , depois de um processo que durou muitos anos.

ZENIT: Quanto a isso qual é o significado da resposta do Santo Padre?

Kiko: O Santo Padre, através dessa carta enviada por Mons. Becciu, afirma que tudo o que ele disse nas indicações às famílias não altera em nada os Estatutos do Caminho Neocatecumenal e, citando o artigo doze, que fala da Vigília Pascal, o artigo treze, que fala da Eucaristia do Caminho, afirma que “ tudo que diz respeito à celebração da Vigília Pascal e da Eucaristia dominical”  são o quadro normativo de referência” para o Caminho.

Pois, graças a Deus, o Papa nos salvou, porque os detalhes de um canto ou de coisas particulares podem ser mudados, estamos de acordo, mas aqui temos estas interpretações que parecem anular os estatutos.

Estamos felizes que o Papa nos ama e nos defende.

ZENIT: Por que estes dois artigos são tão importantes?

Kiko: O artigo 13 é muito importante porque diz que o Caminho Neocatecumenal celebra a Eucaristia depois das primeiras vésperas do domingo em pequenas comunidades,  e que estas celebrações fazem parte da pastoral litúrgica da paróquia e são abertas a todos.

Isso é uma coisa maravilhosa porque as comunidades estão cheias de jovens e conseguimos que os jovens, ao invés de sair pelas discotecas no sábado pela noite, venham à Eucaristia do domingo. A Santa , compreendendo este motivo pastoral, permitiu algumas concessões para ajudar a participação de tantos jovens. Para nós isto é fundamental, porque ao final o ponto é um só: por que temos tantos filhos? É como se algumas pessoas nos quisessem punir por isso.

O fato de ter obedecido a Humanae Vitae faz que estejamos cheios de jovens e estes jovens estão todos na Igreja e destes jovens nascem as vocações para os seminarios. Existem cem seminários, onde se encontram as vocações que são providas por essas famílias e isto o Papa o compreendeu muito bem.

O que diz respeito ao artigo doze, as comunidades de todo o mundo estão ajudando as paroquias a redescobrir a Vigília Pascal. A Santa , no documento fundamental para a Vigília Pascal Paschalis Solemnitatis, exprime a dor em ver que a Vigília Pascal, ao invés de ser “a mãe de todas as vigília” e o centro da vida litúrgica dos fiéis se tornou em muitas paróquias somente uma Missa vespertina.

O artigo 12 dos estatutos estebelece exatamente que “o neocatecumenato extimulará a parroquia a uma celebração mais rica da vigilia pascal”. Sua Eminencia, o Cardeal Cañizares, prefeito da Congregação para o Culto Divino, ressaltou justamente este papel das comunidades neocatecumenais dizendo que a Conferencia episcopal da Polônia, por exemplo, agradeceu ao Caminho porque está ajudando a recuperar e redescobrir a importância da Vigília Pascal em toda a Polonia.

Leia em ZENIT website: Texto integral da Carta de Angelo Becciu a Kiko Arguello