Papa Francisco recebe o Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon

Entre os temas discutidos durante o encontro, o tráfico de seres humanos e a crise diplomática coreana

Roma, (Zenit.org) Luca Marcolivio | 561 visitas

Na manhã de hoje, no Palácio Apostólico Vaticano, o Papa Francisco recebeu em audiência, o Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon. O encontro durou cerca de meia hora.

De acordo com um comunicado da assessoria de imprensa da Santa Sé, a tradicional audiência concedida pelo Papa aos vários Secretários-Gerais das Nações Unidas “expressa o apreço que a Santa Sé tem pelo papel fundamental da Organização na preservação da paz mundial, na promoção do bem comum da humanidade e na defesa dos direitos humanos fundamentais”.

Durante o “cordial dialogo” entre o Papa e o Secretário Geral da ONU foram tratadas "questões de interesse mútuo, em especial, as situações de conflito e a grave emergência humanitária, especialmente na Síria, bem como na Coréia e no continente Africano, onde a paz e estabilidade estão ameaçadas”.

Falou-se do problema de "tráfico de pessoas, especialmente mulheres, e dos refugiados e migrantes". O Secretário-Geral da ONU, que começou recentemente seu segundo mandato, apresentouseu programa para os próximos cinco anos, concentrando-se, entre outras coisas, na “prevenção de conflitos, na solidariedade internacional e no desenvolvimento econômico equo sustentável".

Papa Francisco também recordou "a contribuição da Igreja Católica, a partir de sua identidade e com os meios que lhes são próprios, em favor da dignidade humana integral e da promoção de uma Cultura do encontro, que contribui para os objetivos institucionais da Organização”, conclui a nota da Santa Sé.

Depois do encontro com o Santo Padre, Ban Ki-moon, se reuniu com o Secretário de Estado, Cardeal Tarcisio Bertone, que estava acompanhado pelo monsenhor Antoine Camilleri, Sub-Secretário para as Relações com os Estados. A reunião também durou cerca de meia hora.

Durante encontro com os jornalistas acreditados junto ao Serviço de Imprensa do Vaticano, o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, disse que as questoes do tráfico de pessoas e das mulheres foram tratadas também durante a mensagem Urbi et Orbi da Páscoa, ou seja, é uma questão que o Papa pretende aprofundar.

Lombardi também confirmou o convite de Ban-Ki-moon ao Papa Francisco para visitar a sede das Nações Unidas. Foi, no entanto, um convite completamente informal.

Em entrevista à Rádio Vaticano, Ban Ki-moon, definiu a escolha do Papa pelo nome do Santo de Assis “uma mensagem potente pelos muitos objetivos comuns da Organização das Nações Unidas”.

"Eu aprecio o seu profundo senso de humildade, sua paixão e sua compaixão para melhorar a condição humana", disse o secretário-geral da ONU, falando ainda do Papa Francisco.

"Me animou muito - disse Ban Ki-Moon – o compromisso do Papa Francisco em construir pontes entre as comunidades de diferentes credos: acredito firmemente que o diálogo inter-religioso pode abrir estradas para uma apreciação profunda de valores compartilhados que, por sua vez, leva à tolerância, à inclusao e, portanto, à paz”.