Papa Francisco recebe secretário geral da ONU

Abordadas questões de interesse recíproco, como conflitos e emergências humanitárias

Roma, (Zenit.org) Redacao | 488 visitas

O santo padre recebeu ontem no Vaticano o secretário geral da Organização das Nações Unidas, o sul-coreano Ban Ki-Moon, durante cerca de vinte minutos. O encontro ocorreu no mesmo dia em que a Coreia do Norte lançou uma nova ameaça de guerra termonuclear contra Seul e contra os Estados Unidos. Pyongyang sugeriu que os estrangeiros em território sul-coreano deixem o país devido à iminência de conflito.

Ban Ki-Moon disse a Francisco que “o conflito entre as Coreias do Norte e do Sul corre o risco de sair de controle", conforme resumo do encontro feito pelo próprio secretário geral da ONU à imprensa. "A dimensão das tensões se tornou muito perigosa. Um pequeno incidente desencadeado por erro de cálculo poderia desembocar numa situação fora de controle".

A Santa Sé quis dar à audiência uma abrangência maior que o tema da crise coreana: “O encontro entrou na habitual audiência que os pontífices concedem aos secretários gerais da ONU, para expressar a estima da Santa Sé pelo papel crucial das Nações Unidas na defesa da paz no mundo, na promoção do bem comum da humanidade e na tutela dos direitos fundamentais do ser humano”, informou a assessoria de imprensa do Vaticano, acrescentando que “o colóquio se caracterizou pela cordialidade”. A conversa abordou “questões de interesse recíproco. Em particular, foram tratadas situações de conflito e de grave emergência humanitária, principalmente na Síria, e outras como as da península coreana e do continente africano, onde a paz e a estabilidade estão ameaçadas”.

A Santa Sé abordou também “o problema do tráfico de pessoas, especialmente de mulheres e de refugiados e migrantes”.

O secretário geral da ONU, que começou o segundo mandato, apresentou ao papa nesta visita o seu programa para o próximo quinquênio, "focado na prevenção dos conflitos, na solidariedade internacional e no desenvolvimento econômico equitativo e sustentável", informou o Vaticano.

O papa Francisco recordou a Ban Ki-Moon a contribuição da Igreja católica a partir da sua identidade e dos seus meios próprios "em favor da dignidade humana integral e da promoção de uma cultura do encontro, que colabora com os fins institucionais mais elevados da ONU”.

Depois de se despedir do santo padre, Ban Ki-Moon se reuniu com o cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado, acompanhado por dom Antoine Camilleri, subsecretário para as Relações com os Estados.

Nesta quinta-feira, o secretário geral das Nações Unidas já estará nos Estados Unidos para uma reunião com o presidente Barack Obama. O tema central será a Coreia.