Papa Francisco viajará somente para o Brasil em 2013

Já em 2015, o papa espera visitar a Argentina, o Uruguai, o Chile e possivelmente o Peru

Roma, (Zenit.org) Redacao | 466 visitas

O arcebispo de Santiago do Chile, dom Ricardo Ezzati, foi recebido nesta segunda-feira pelo papa Francisco num encontro que o prelado definiu como “muito fraterno” e no qual “pudemos conversar sobre todos os temas. Nenhum ficou excluído”.

O papa disse ao arcebispo que neste ano visitará somente o Brasil, por ocasião da JMJ, descartando outras viagens a países latino-americanos. Mas pretende voltar à América Latina em 2015, para visitar a Argentina, o Uruguai, o Chile e possivelmente o Peru. A notícia que o santo padre deu ao arcebispo de Santiago foi retransmitida pelo departamento de comunicação daquela arquidiocese.

“Foi uma experiência familiar”, disse o arcebispo, “de um pai que conhece muito bem o nosso país. Que conhece detalhes da vida da Igreja no Chile, que conhece pessoas, que aprecia imensamente o que Igreja está realizando e que também tem plena consciência das suas dificuldades”.

Acrescentou que o santo padre “aprovou várias das coisas que estamos fazendo na arquidiocese, desde coisas profundas, como o projeto pastoral, até situações de mudanças estruturais. Ele tem uma grande confiança no que podemos fazer”.

Sobre as viagens ao Chile e a outros países da América Latina, “o papa me disse que este ano não tem previsão de viajar para outros lugares da América do Sul, somente para o Brasil. E no próximo ano ele tinha já várias viagens programadas. Uma para devolver a visita do Patriarca de Constantinopla, outra para a África e outra para a Ásia. Ele me disse que dificilmente vai poder ir para a América Latina em 2014, mas que espera ir em 2015, e, nesse caso, a viagem incluiria a Argentina, o Uruguai, o Chile e possivelmente o Peru”.

O papa, prosseguiu dom Ezzati, “se alegrou por ver o despertar entre os jovens” e “me disse que espera todos eles no Rio”.

Ezzati agradeceu ao papa Francisco “por aceitar o que Deus estava lhe pedindo”: ser papa. Bergoglio, antes, havia lhe comentado que tinha outros projetos. “Ele me respondeu: ‘Quando eu vi que os votos pendiam para mim, coloquei o meu coração em paz. Estou muito feliz por fazer o que nosso Senhor me pediu’”.

O arcebispo de Santiago se mostrou impressionado por “vê-lo como um cidadão qualquer, que chega a um refeitório público, que come a mesma coisa que os outros, com simplicidade. Eu me impressionei por poder concelebrar a missa junto com o pe. Rodrigo Tupper e com outros bispos. Com uma homilia muito bonita sobre o sentido da oração”.

“É a sensação de encontrar um pai e um irmão na fé. Foi muito bonita a homilia que ele fez no dia 29, na missa de São Pedro, quando refletiu, e ele me lembrou disso também nesta conversa, sobre o significado de confirmar a fé, confirmar a unidade, confirmar a caridade”.