Papa pede que se acolham os refugiados

O Santo Padre também pediu para testemunhar o Evangelho da Vida em todas as suas dimensões e em todas as suas fases

Roma, (Zenit.org) Redacao | 355 visitas

Por ocasião do Dia Mundial do Refugiado, que será celebrado amanhã, o Papa Francisco lançou um apelo no final da Audiência Geral de hoje.

"Neste ano, somos convidados a considerar especialmente a situação das famílias refugiadas, forçadas a abandonar rapidamente as suas casas e as suas pátrias e a perder todos os bens e a segurança para fugir das violências, perseguições, ou graves discriminações por motivo de religião professada, de pertença a um grupo étnico, das suas ideias políticas”, disse o Santo Padre.

"Além dos perigos da viagem - continuou o Pontífice – muitas vezes estas famílias se encontram em risco de desintegração e, no país que as recebe, têm que lidar com culturas e sociedades diferentes da própria".

"Não podemos ser insensíveis às famílias e a todos os nossos irmãos e irmãs refugiados: somos chamados a ajudá-las, abrindo-nos à compreensão e à hospitalidade. Que não faltem em todo mundo pessoas e instituições que as ajudem: em seus rostos, está impresso o rosto de Cristo!", acrescentou.

Papa Francisco acrescentou depois que domingo passado, no Ano da Fé, “celebramos Deus que é Vida e fonte da vida, Cristo que nos dá a vida divina, o Espírito Santo que nos mantém na relação vital de verdadeiros filhos de Deus”.

Neste sentido, convidou mais uma vez a todos “a acolherem e testemunharem o ‘Evangelo da vida’, a promover e a defender a vida em todas as suas dimensões e em todas as suas fases. O cristão é aquele que diz ‘sim’ à vida, que diz ‘sim’ a Deus, o Vivente”, concluiu.

Tradução Thácio Siqueira