Papa proclamará Templo da Sagrada Família como Basílica em Barcelona

Arcebispo de Barcelona detalha o programa da visita apostólica à Espanha

| 1685 visitas

BARCELONA, sexta-feira, 23 de julho de 2010 (ZENIT.org) – Bento XVI proclamará como basílica o templo da Sagrada Família de Barcelona no próximo dia 7 de novembro, o mesmo dia em que dedicará o templo expiatório criado por Antonio Gaudí, durante sua visita apostólica à Espanha.

Quem fez o anúncio foi o bispo de Barcelona, cardeal Lluís Martínez Sistach, hoje, ao meio-dia, em uma coletiva de imprensa realizada diante de centenas de jornalistas na sala Gaudí do museu diocesano de Barcelona.

Com um amplo sorriso, o purpurado explicou numerosos detalhes da estadia do Papa em Barcelona, onde, além  de consagrar o templo da Sagrada Família, visitará a escola para portadores de necessidades especiais, da fundação diocesana do Menino Deus.

A visita apostólica à Espanha começará no sábado, 6 de novembro, com sua chegada a Santiago de Compostela ao meio-dia, segundo o programa já aprovado pela comissão vaticana que prepara as viagens do Pontífice.

Bento XVI se dirigirá à catedral de Santiago, onde abraçará o santo, presidirá uma oração e contemplará o grande incensário do templo compostelano. Depois, presidiár uma Missa no Obradoiro, a praça da catedral.

Às 21h, está prevista sua chegada ao aeroporto do Prat de Barcelona, onde será recebido por uma delegação na qual provavelmente se encontrarão os Príncipes de Astúrias.

Bento XVI se transladará depois ao arcebispado de Barcelona, onde tem previsto chegar às 21h45, para passar a noite, junto às pessoas que o acompanharão na visita.

Na manhã seguinte, domingo 7 de novembro, o Bispo de Roma se transladará no papa-móvil do arcebispado até o templo da Sagrada Família, em um itinerário que ainda será definido.

Ao chegar ao templo de Gaudí, o veículo dará algumas voltas pelas redondezas para que as numerosas pessoas lá reunidas – talvez cerca de 500 mil, segundo o arcebispo – possam vê-lo de perto e cumprimentá-lo.

O Pontífice entrará no templo pela porta da rua Mallorca, revestir-se-á na sacristia e realizará o rito de abrir as portas do pórtico da Glória.

Após isso, começará a Eucaristia, com uma procissão do Papa, cardeais e bispos até o presbitério.

Durante essa Missa, será celebrado o rito de dedicação do altar; depois se rezará a ladainha dos santos e a oração de dedicação ou consagração da igreja a Deus.

A seguir, acontecerá a incensação do altar e de toda a igreja, que serão iluminados logo em seguida.

Ao acabar a Missa, por volta do meio-dia, o Papa sairá ao Pórtico do Nascimento do templo original para cumprimentar as pessoas e rezar o ângelus, do mesmo lugar onde se colocou João Paulo II durante sua visita a Barcelona, em 1982.

Depois da oração mariana e de sua alocução e saudação aos peregrinos, o Papa voltará a entrar na igreja e se dirigirá em procissão ao final do templo, onde haverá uma inscrição comemorativa dessa dedicação do templo.

Bento XVI voltará ao arcebispado no papa-móvil e será saudado por numerosas pessoas nas ruas de Barcelona. Na sede episcopal, o Papa almoçará com os bispos e com seu séquito às 13h.

Às 17h15, o Papa quis acrescentar uma visita à instituição do Menino Deus, dedicada a pessoas com Síndrome de Down e com outras deficiências e suas famílias, uma fundação diocesana confiada às Franciscanas do Sagrado Coração.

Em sua sede do bairro de Guinardó, rezará e conversará com os alunos, que estão lhe preparando um presente, e com suas famílias, além de abençoar a primeira pedra da sua nova residência.

O novo terminal do aeroporto do Prat acolherá, às 18h30, a despedida oficial do Papa, para a qual está prevista a assistência dos Reis da Espanha. Às 19h15, está prevista também sua saída de volta a Roma.

Segundo o cardeal Sistach, Bento XVI “descobriu na Sagrada Família a comcepção teológica da Igreja: celebrar a Eucaristia e o culto”.

Neste sentido, o purpurado explicou que não existem nichos no interior do templo,, mas que estão no interio (nas fachadas do Nascimento, da Paixão e da Glória), nem tampouco capelas laterais, mas somente o presbitério, o altar, a sede e o ambão, e três imagens: a cruz, Nossa Senhora e São José.

O cardeal incentivou todos a acolherem o Papa e a assistir ao ato de consagração da Sagrada Família. Para facilitar isso, foram suspensas todas as Missas nas paróquias e centros de culto de Barcelona no dia 7 de novembro de manhã, exceto em prisões, hospitais e mosteiros de clausura.