Papa propõe momentos para Deus no trabalho ou nas férias

“Só assim nossa vida se torna grande”, acrescentou

| 1065 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 3 de junho de 2009 (ZENIT.org).- Bento XVI considera que para poder viver uma autêntica vida, é necessário reservar momentos para Deus, tanto no trabalho como nas férias.

A esta conclusão chegou nesta quarta-feira, na audiência geral, na qual recolheu a herança espiritual de Rábano Mauro, falecido em 856, um dos personagens mais importantes da história da Igreja na Alemanha. 

O pontífice terminou sua catequese apresentando uma breve passagem escrita por esse monge e bispo: “Quem descuida da contemplação, priva-se da visão da luz de Deus; quem se deixa levar pelas preocupações e permite que seus pensamentos fiquem turbados pelo tumulto das coisas do mundo, condena-se à absoluta impossibilidade de penetrar nos segredos do Deus invisível”, 

“Creio que Rábano Mauro nos dirige hoje estas palavras: no trabalho, com seus ritmos frenéticos, e nas férias, temos de reservar momentos para Deus.”

Por isso, recomendou “abrir-lhe nossa vida, dirigindo-lhe um pensamento, uma reflexão, uma breve oração e, sobretudo, não podemos esquecer o domingo como o dia do Senhor, o dia da liturgia, para perceber na beleza de nossas igrejas, da música sacra e da Palavra de Deus, a própria beleza de Deus, deixando-o entrar em nosso ser”. 

“Só assim nossa vida se torna grande, faz-se vida de verdade”, afirmou. 

Em uma de suas saudações aos peregrinos, o Santo Padre exortou a que “as preocupações deste mundo nunca nos afastem do amor de Deus”.