Papa propõe Quaresma de conversão

Ao presidir o rito das cinzas

| 1870 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009 (ZENIT.org).- Ao presidir nesta quarta-feira o rito das cinzas, Bento XVI iniciou a Quaresma fazendo um convite à conversão. 

E para isso propôs viver estes quarenta dias que preparam para a paixão, morte e ressurreição de Jesus em permanente escuta da Palavra de Deus. 

O rito começou às 16h30, na igreja de Santo Anselmo, no Monte Aventino de Roma, com um momento de oração, seguido pela procissão penitencial à basílica de Santa Sabina. 

Na procissão, participaram cardeais, bispos, monges beneditinos de Santo Anselmo, padres dominicanos de Santa Sabina e fiéis. 

Ao final da procissão, na basílica de Santa Sabina, o Santo Padre presidiu a celebração eucarística na qual, como um fiel, recebeu a imposição das cinzas. 

Na homilia, animou os presentes a receberem «as cinzas sobre a cabeça como sinal de conversão e de penitência», abrindo «o coração à ação vivificante da Palavra de Deus». 

«Que a Quaresma, caracterizada por uma escuta cada vez mais frequente da Palavra, por uma oração mais intensa e por um estilo de vida austero e penitencial, seja estímulo para a conversão e para o amor sincero aos irmãos, especialmente os mais pobres e necessitados», exortou. 

Mas, «como é possível vencer na luta entre a carne e o espírito, entre o bem e o mal, luta que marca a nossa existência?», perguntou-se o Santo Padre. 

Ele respondeu sugerindo o exercício de escuta da Palavra de Deus e citando precisamente a passagem evangélica da liturgia da Quarta-Feira de Cinzas, que indicava três meios fundamentais: «a oração, a esmola e o jejum».