Papa: próximo às vitimas do terremoto de Abruzos

Exorta a proteger a criação

| 1159 visitas

SULMONA, ITÁLIA, domingo, 4 de julho de 2010 (ZENIT.org) – Na homilia que pronunciou nesta manhã de domingo em Sulmona, ocasião em que se celebram os 800 anos do nascimento do Papa Celestino V, Bento XVI expressou sua solidariedade a todos aqueles que vivem “em condições de precariedade”.

Diante das cerca de 25 mil fiéis, o Papa disse estar ciente de que “também em Sulmona não faltam dificuldades, problemas e preocupações”.

Em particular, dedicou suas reflexões “a todos aqueles que vivem concretamente sua existência em condições de precariedade, seja por falta de trabalho, pela incerteza com relação ao futuro ou pelo sofrimento físico e moral”, ou ainda “pelo sentimento de perda decorrente do terremoto de 6 de abril de 2009”.

“A todos desejo assegurar minha proximidade e minha lembrança na oração, enquanto encorajo a perseverarem no testemunho dos valores humanos e cristãos tão profundamente enraizados na fé e na história deste território e de seu povo”, declarou.

Do mesmo modo, pediu a todos que zelem pela criação, lembrando que Celestino V amadureceu, “no silêncio interior”, “uma experiência viva da beleza da criação, obra das mãos de Deus”.

Lembrando que a Igreja de Sulmona, como as demais da região de Abruzos, “está ativamente empenhada em uma campanha de sensibilização pela promoção do bem comum e a proteção da criação”, exortou todos a “sentirem-se responsáveis pelo próprio futuro, como também o dos outros, também respeitando a criação, fruto e símbolo do amor de Deus”.

A celebração foi realizada sob forte sol, a ponto de 10 sacerdotes se sentirem mal com o calor, sendo socorridos pela Cruz Vermelha e por médicos do hospital da cidade.

Em sua homilia, Bento XVI concentrou-se na vida espiritual de Pietro da Morrone antes de sua eleição à Cátedra de Pedro, sem detalhar sua atuação durante seu breve pontificado nem as razões de sua renúncia, bem como as circunstâncias de sua morte.