Papa recebe delegação judaica. Reafirmado o compromisso com o diálogo e a paz na Síria

Ronald Lauder: "Nunca nos últimos 2.000 anos, as relações entre católicos e judeus foram tão boas

Roma, (Zenit.org) Redacao | 463 visitas

O papa Francisco recebeu ontem no Vaticano uma delegação do Congresso Mundial Judaico (WJC), liderada pelo presidente Ronald S. Lauder. Um comunicado da organização judaica informa que o encontro foi sobre a grave situação na Síria, e confirmou-se o compromisso comum para a paz.

O papa disse que a morte de seres humanos é inaceitável e pediu para fazer todo o possível para evitar a guerra. Ele também renovou a condenação dos ataques contra as minorias religiosas, como está acontecendo com os cristãos coptas no Egito.

O encontro aconteceu por ocasião da chegada do ano 5.774 para os judeus em todo o mundo a ser celebrado amanhã, quarta-feira, e por isso o papa Francisco enviou o seu " Feliz Ano Novo" com um 'Shana Tova', e pediu ao WJC para transmitir esta mensagem a todos os judeus do mundo.

"Um cristão não pode ser anti- semita", reiterou o santo padre. E acrescentou que para "ser um bom cristão é preciso entender a história e as tradições dos judeus. "Da mesma forma, disse que os judeus e os cristãos compartilham as mesmas raízes e que o diálogo é a chave para a construção de um futuro comum.

O presidente Lauder sublinhou que o empenho para o diálogo do Papa Francisco não só revigorou a Igreja Católica, mas deu também um novo impulso às relações entre Hebreus e Cristãos. “Nunca nos últimos 2.000 anos, as relações entre católicos e judeus foram tão boas”. Ele acrescentou que " isso nos permite trabalhar juntos em defesa da liberdade de religião, onde ela está ameaçada e a comunidade é afetada”.

O Congresso Judaico Mundial é uma organização internacional que representa as comunidades judaicas de 100 países. Foi fundada em 1936. O organismo está particularmente empenhado no diálogo inter-religioso, especialmente com a Igreja católica.