Papa reconhece maravilhas que Deus fez através de Chiara Lubich

Mensagem de pêsames ao receber a notícia do falecimento

| 716 visitas

CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 13 de março de 2008 (ZENIT.org).- Bento XVI enviou uma mensagem de pêsames ao receber a notícia do falecimento, aos 88 anos, de Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares.

O Papa, que não esconde sua «profunda emoção», presta homenagem à sua «vida longa e fecunda, caracterizada incansavelmente por seu amor a Jesus abandonado».

«Nesta hora de separação dolorosa – assegura o Santo Padre –, estou próximo espiritualmente e com afeto dos familiares e de toda a Obra de Maria – Movimento dos Focolares – que ela fundou, como a todos os que apreciaram seu compromisso constante pela comunhão na Igreja, o diálogo ecumênico e a irmandade entre todos os povos.»

O Papa «agradece a Deus pelo testemunho de sua existência dedicada à escuta das necessidades do ser humano contemporâneo, em plena fidelidade à Igreja e ao Papa».

Enquanto confia «sua alma à bondade divina para que a acolha no seio do Pai», o bispo de Roma deseja que «todos que a conheceram e encontraram, admirando as maravilhas que Deus realizou através de sua entrega missionária, sigam seus passos mantendo vivo seu carisma».

O Movimento que Chiara Lubich começou em Trento, em 1943, quando tinha 23 anos, alcançou uma difusão mundial (182 países), com mais de 2 milhões de adeptos e um irradiação entre milhões de pessoas, dificilmente quantificável.