Papa recorda mineiros soterrados no Chile

Pede às famílias que “mantenham a serenidade” enquanto terminam o resgate

| 1553 visitas

CASTEL GANDOLFO, domingo, 29 de agosto de 2010 (ZENIT.org) - O Papa Bento XVI, durante as saudações aos peregrinos reunidos no pátio interior do Palácio Apostólico de Castel Gandolfo, dirigiu um pensamento especial aos mineiros soterrados em San José (Chile).

Ao cumprimentar os peregrinos em língua espanhola, quis mostrar seu "particular afeto aos mineiros que se encontram presos na mina de San José, na região chilena de Atacama".

"Confio os mineiros e suas famílias à intercessão de São Lourenço, assegurando-lhes minha proximidade espiritual e minhas contínuas orações, para que mantenham a serenidade na expectativa de uma feliz conclusão dos trabalhos que estão sendo feitos para se chegar ao seu resgate."

Com esta saudação, o Papa quis mostrar-se próximo dos 33 mineiros soterrados desde 5 de agosto na mina de San José, no norte do Chile, a quase 700 metros de profundidade.

Os mineiros, que no começo já foram dados por mortos, permaneceram 17 dias presos e sem comunicação, até que foram descobertos com vida pelas equipes de resgate, graças a uma sonda (cf. ZENIT, 23 de agosto de 2010).

Até agora, foram-lhes proporcionados alimentos e sistemas de comunicação. Nos próximos dias, segundo as autoridades chilenas, começarão as tarefas de resgate, que poderiam durar entre três e quatro meses.