Papa: transmitir aos jovens a amizade entre judeus e cristãos

O Santo Padre recebeu a delegação do American Jewish Commtte. No próximo ano se comemora o 50 º aniversário da Declaração Nostra Aetate do Concílio Vaticano II

Roma, (Zenit.org) Rocio Lancho García | 329 visitas

O Santo Padre recebeu em audiência esta manhã, a delegação do American Jewish Committee, uma organização que já teve várias reuniões no passado com os seus antecessores, e que mantém "boas relações com a Santa Sé e com muitos expoentes do mundo católico". Francisco mostrou-se muito agradecido no seu discurso por ter dado ao longo dos anos “uma contribuição qualificada ao diálogo e à fraternidade entre judeus e cristãos”. Da mesma forma os encorajou a continuar neste caminho.

O Santo Padre recordou que no próximo ano se comemora o 50º aniversário da Declaração Nostra Aetate do Concílio Vaticano II e que ainda hoje é na Igreja “um ponto de referência essencial para o relacionamento com os nossos ‘irmãos mais velhos’. E é que a partir do Documento – afirmou – “se desenvolveu a reflexão sobre o patrimônio espiritual que nos une e constitui o fundamento do nosso diálogo”. Um fundamento que é teológico e não simplesmente “expressão do nosso desejo de respeito e estima mútua".

Francisco achou importante destacar como “judeus e cristãos podem atuar juntos pela construção de um mundo mais justo e fraterno”. E a este respeito recordou de forma particular o “serviço comum a favor dos pobres, dos marginalizados, dos que sofrem”. “É uma tarefa confiada por Deus, que reflete a Sua santa vontade e justiça, um autêntico dever religioso".

Por fim, ressaltou que "é importante comprometer-nos a transmitir às novas gerações o patrimônio do conhecimento recíproco, de estima e de amizade construído nestes anos graças também ao compromisso de associações como a vossa”. Por isso, Francisco quis que o “tema das relações com o judaísmo permaneçam vivos nos seminários e nos centros de formação dos leigos católicos, como também confio que nas comunidades judaicas e nos jovens rabinos cresça o interesse pelo conhecimento do cristianismo”.

Na conclusão do discurso, o Santo Padre mencionou a sua viagem à Jerusalém, pela qual pediu-lhes  que o acompanhem “com vossa oração, para que esta peregrinação traga frutos de comunhão, de esperança e de paz. Shalom!"

Trad.TS