Paquistão: políticos passaram pelas escolas dos Irmãos de La Salle

Os religiosos celebram 50 anos no país

| 1277 visitas

ISLAMABAD, sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 (ZENIT.org).- Os Irmãos de La Salle celebram seus 50 anos de presença no Paquistão.

Como observa o Irmão Shahzad Gill, responsável pela província religiosa no Paquistão, em um informe a Fides, «o espírito e os herdeiros dos Lasallianos são visíveis e nos levam confiantes ao futuro».

«Os resultados alcançados pelas nossas escolas na área acadêmica e também nas atividades extracurriculares – destacou – são um testemunho dessa herança. Toda a nossa obra foi possível graças à grande coragem dos Irmãos pioneiros, que iniciaram a missão no Paquistão, e à grande fé em Deus».

Irmão Shahzad agradeceu a todos os religiosos e os leigos que passaram anos da sua vida no Paquistão para levar adiante as atividades educacionais e lembrou que a educação oferecida pelas escolas Lasallianas é reconhecida por todos pela alta qualidade e aprovada por muitas famílias muçulmanas.

Muitos políticos que estão no Parlamento, e também o atual Primeiro Ministro Yousaf Raza Gilani, estudaram nas escolas dos Lasallianos. A educação baseada nos valores do respeito ao outro, dos direitos, da liberdade e da responsabilidade individual contribui para formar uma classe dirigente que hoje administra o país e que poderá dar este patrimônio a serviço da nação.

O espírito de Giovanni Battista de La Salle, padre e fundador da congregação, continua, assim, a viver na nação, e explica com clareza a missão da Igreja na área da educação, aberta a crianças e jovens de todas as religiões.

O objetivo do instituto, fundado no sec. XVIII, é «buscar uma educação humana e cristã aos jovens, especialmente os pobres, segundo o ministério que lhe foi confiado pela Igreja».

Atualmente, escolas dos Lasallianos estão em todas as principais cidades do Paquistão (como Multa, Faisalabad, Karachi) e contribuem para disseminar o apreço e a estima pelas escolas católicas e pela Igreja toda.

Hoje, com mais de 73.000 professores leigos, os Irmãos dirigem escolas e ensinam para quase 900.000 alunos em 85 países do mundo.