Para a democracia não é suficiente uma adesão formal às regras

Alerta dos Bispos da Argentina publicado no final da Semana Social 2013

Buenos Aires, (Zenit.org) | 423 visitas

A Comissão Pastoral Social do Episcopado argentino, realizou de 28 a 30 junho na cidade de Mar del Plata, a Semana Social 2013. Em seu documento final, intitulado "A esperança nos anima: democracia, equidade e desenvolvimento integral ", os bispos alertam que para uma verdadeira democracia não é suficiente respeito formal às regras, mas é necessário aceitar os valores que inspiram os procedimentos democráticos.

Eles ressaltam que esses valores são: "A dignidade de todo ser humano, o respeito pelos direitos humanos, assunção do bem comum como fim e critério regulador da vida política”.

E continua o texto do documento: A esperança nos anima: "Democracia, equidade e desenvolvimento integral"

"Colocamos ênfase na grata memória destes 30 anos de democracia, no caminho de crescente afirmação de seus princípios. Por sua vez, mencionamos situações pendentes, mas com um olhar esperançoso na medida da capacidade dos argentinos em incrementar o diálogo e a amizade social, no firme compromisso com os mais pobres.

Recordou-se, de acordo com a Doutrina Social da Igreja, que "uma autentica democracia não é apenas um resultado do respeito formal às regras, mas fruto da convicta aceitação dos valores que inspiram os procedimentos democráticos: a dignidade de todo ser humano, o respeito pelos direitos humanos, assunção do bem comum como fim e critério regulador da vida política".

Estamos convencidos de que temos de continuar a trabalhar com grande empenho para garantir "a plena vigência da divisão de poderes dentro de democracia republicana" (Rumo ao Bicentenário na Justiça e Solidariedade 2010-2016, n º 35), esta Democracia que tanto custou conseguir conquistar e que devemos cuidar a cada dia, e ainda precisa continuar a amadurecer e se fortalecer. Acreditamos também, que "a qualidade institucional é o caminho certo para chegar à inclusão social", a qual tanto aspiramos.

Recebemos com grande alegria a mensagem do Papa Francisco enviada pelo Cardeal Bertone. Além de sua saudação e encorajamento, o Santo Padre recorda:

"O papel central da pessoa humana na ordem política, judicial e social, bem como a necessidade de tutelar e promover seus direitos fundamentais e inalienáveis, como expressão de sua altíssima dignidade, para que o sistema democrático encontre no patrimônio de valores humanos e espirituais um guia para sua ação política e evite, assim, a sua manipulação por interesses partidários e lógicas de poder ".

Ao longo do encontro foram desenvolvidos painéis com governadores, funcionários de diversas áreas, legisladores, empresários, líderes sindicais e membros de diversas organizações sociais.

Durante os três dias foi privilegiado o diálogo para a construção do bem comum. Queremos reafirmar que “promover políticas públicas é uma nova forma de opção para os nossos irmãos mais pobres e excluídos" (Rumo ao Bicentenário na Justiça e Solidariedade 2010-2016, n º 18). Isto nos insta a fazer parte, a nos comprometer cada vez mais na consolidação da democracia promovendo novos estilos de liderança.

Os trabalhos foram desenvolvidos em quatro grupos temáticos: problemática das terras, Organizações sociais e partidos políticos, Jovens e famílias e Fé como compromisso público. O debate girou em torno das conquistas e desafios no contexto da comemoração dos 30 anos da Democracia.

“Destacamos especialmente a participação de muitos jovens, os quais queremos apoiar e incentivar em seu compromisso social e político. Eles são uma autêntica força de mudança social. A esperança nos anima. Continuemos a trabalhar para o bem comum”.