Paris lança primeiros encontros do Átrio dos Gentios

Debate na UNESCO, Sorbonne, Institut de France, College des Bernardins e Notre-Dame

| 1409 visitas

CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 27 de janeiro de 2011 (ZENIT.org) - O Conselho Pontifício para a Cultura organiza em Paris, nos dias 24 e 25 de março, o lançamento do Átrio dos Gentios, uma nova instituição permanente do Vaticano destinada a promover os intercâmbios e encontros entre crentes e não crentes.

Segundo explica o dicastério da Santa Sé, estão sendo organizados vários simpósios sobre o tema "Religião, luz e razão".

O primeiro debate terá lugar na UNESCO, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, com sede em Paris, em 24 de março à tarde, sob o patrocínio desta instituição.

Em 25 de março, de manhã, o debate será realizado na Sorbonne e depois, à tarde, no Institut de France.

A conclusão dos três debates será realizada no College des Bernardins (http://www.collegedesbernardins.fr), com uma mesa redonda.

Para a noite de 25 de março, está prevista uma festa aberta a todos, sobretudo aos jovens, sobre o "Átrio do Desconhecido", e será realizada no átrio da Catedral de Notre-Dame de Paris.

Esta é uma reunião de reflexão com obras de arte, música, coreografia, luz e som. Após o espetáculo, a catedral será aberta, de maneira bastante excepcional, para aqueles dispostos a participar de uma vigília de oração e meditação.

O Átrio dos Gentios era o espaço do antigo Templo de Jerusalém que não estava reservado aos israelitas, ao qual poderia ir qualquer pessoa, independentemente de nação, cultura ou religião.

A ideia de criar um espaço de encontro para os crentes e não crentes foi proposta por Bento XVI em 21 de dezembro de 2009, durante um discurso à Cúria Romana.

"Acho que a Igreja também deve abrir hoje uma espécie de ‘átrio dos gentios', onde os homens possam entrar em contato com Deus de alguma forma, sem conhecê-lo e antes de terem encontrado o acesso ao seu mistério, a cujo serviço está a vida interna da Igreja", afirmou o Papa.

"Ao diálogo com as outras religiões deve ser adicionado hoje sobretudo o diálogo com aqueles para quem a religião é algo estranho, para quem Deus é desconhecido e, apesar disso, não gostariam de estar simplesmente sem Deus, mas abordá-lo pelo menos como Desconhecido", esclareceu.

O Átrio dos Gentios pretende organizar encontros em outras cidades do mundo, em torno de temas fundamentais, tais como as questões antropológicas: vida e morte, bem e mal, amor e dor, verdade e mentira, transcendência e imanência, entre outros.