Patriarca de Jerusalém é condecorado Cavaleiro da Grande Cruz da Estrela de Itália

Honraria, que recompensa a luta pela paz, é concedida a Fuad Twal pelo presidente italiano

| 719 visitas

JERUSALÉM, quinta-feira, 6 de setembro de 2012 (ZENIT.org) - Sua Beatitude Fuad Twal, patriarca latino de Jerusalém, recebeu nesta quarta-feira, 5, a condecoração de Cavaleiro da Grande Cruz da Estrela de Itália, das mãos do ministro italiano das Relações Exteriores, Giulio Terzi di Sant'Agata.

O título honorífico é concedido pelo presidente italiano, Giorgio Napolitano. Trata-se do mais alto grau da ordem. Napolitano decidiu homenagear o patriarca no dia 2 de junho, festa nacional na Itália.

A Ordem da Estrela de Itália é uma instituição honorífica da República italiana, criada em 3 de fevereiro de 2011 e derivada da anterior Ordem da Estrela da Solidariedade Italiana, criada em 1947. Ela honra pessoas que se destacam na promoção de relações amistosas com a Itália e recompensa aqueles que trabalham pela paz, pela promoção dos direitos humanos e pela defesa da dignidade humana.

De acordo com o ministro, "o patriarca Fouad Twal sempre foi a voz da paz e da moderação, rejeitando todo extremismo e toda forma de violência. Sua Beatitude é um farol para os cristãos".

Giulio Terzi di Sant'Agata destacou ainda que esta é a primeira vez que o presidente da Itália atribui esta condecoração. "O patriarca é um verdadeiro amigo da Itália e a Itália é uma amiga verdadeira dos cristãos da Terra Santa".

O ministro concluiu: "Agradecemos a Twal, que é capaz de falar ao coração das pessoas e fazê-las compreender que a Igreja na Terra Santa é feita de pessoas, de pedras vivas, e não apenas de monumentos antigos". Com esta condecoração, a República italiana pretende "enviar uma forte mensagem aos cristãos da Terra Santa", porque "é impossível imaginar essa terra sem a presença dos cristãos".

Por sua vez, em seu discurso de boas-vindas e após expressar "gratidão à amada nação italiana", o patriarca Twal declarou-se "muito honrado" com "o reconhecimento pastoral oferecido à Igreja de toda a Terra Santa".

O patriarca reconheceu com alegria a parceria entre a Igreja da Terra Santa e a Itália, que ele considera "excelente". Sua Beatitude recordou também o papel das dioceses, associações e movimentos italianos que apoiam "ativamente" os palestinos, juntamente com o patriarcado e com a Custódia da Terra Santa.

Dirigindo-se ao ministro italiano, grande conhecedor da Terra Santa por ter sido embaixador da Itália na região entre 2002 e 2004, Fuad Twal abordou a situação local atual, concentrando-se, em particular, no papel dos governos "para promover a liberdade religiosa como um direito fundamental".

O patriarca afirmou que "a Terra Santa deve ver-se livre dos postos de controle, dos muros e das barreiras físicas e psicológicas. Somos chamados a unir os nossos esforços e as nossas orações pelo bem dos povos desta terra".

Finalizando o pronunciamento, o patriarca enviou "um forte encorajamento e apoio aos italianos", que também atravessam uma situação econômica difícil.

[Trad. ZENIT]