Patriarca de Moscou quer trabalhar junto ao novo arcebispo católico

«Os fiéis que vivem na região de Moscou estão confiados tanto a meu cuidado pastoral como ao seu»

| 1415 visitas

MOSCOU, terça-feira, 8 de janeiro de 2008 (ZENIT.org).- A festa do Natal oriental em Moscou permitiu dar um novo passo de aproximação entre o patriarca de todas as Rússias, Aléxis II, e a Igreja Católica.

Ao final da celebração solene, na catedral de Cristo Salvador, em Moscou, na vigília do Natal ortodoxo, celebrado em 7 de janeiro, o patriarca conversou com o representante da Santa Sé na Rússia, o arcebispo Antonio Mennini, e com o novo arcebispo da arquidiocese da Mãe de Deus em Moscou, Dom Paolo Pezzi.

Segundo revelou Dom Mennini aos microfones da «Rádio Vaticano», Sua Beatitude Aléxis II dirigiu sua felicitação a Bento XVI, expressando também sua proximidade e fraternidade.

«O patriarca fez um sinal ao novo arcebispo da diocese da Mãe de Deus em Moscou e a mim para que nos aproximássemos. Juntos beijamos a cruz com a qual havia abençoado os fiéis», revela o representante papal na Rússia.

Dom Mennini explica que, «após tê-lo apresentado o novo arcebispo, o patriarca lhe disse que estava disposto a reunir-se com ele logo, não só para conhecê-lo melhor, mas para poderem estudar juntos projetos pastorais comuns em proveito dos fiéis da região de Moscou».

Disse que «os fiéis que vivem na região de Moscou estão confiados tanto a meu cuidado pastoral como ao seu, e por isso temos de trabalhar, colaborar juntos», revela Mennini, que tem a dignidade de núncio apostólico.

«Depois me pediu mais uma vez que transmitisse ao Santo Padre fervorosos desejos de todo bem para o novo ano recém-começado. Acrescentou que seus sentimentos e os da Igreja Ortodoxa russa estão inspirados em motivos de grande respeito e de grande fraternidade.

O representante papal na Rússia considera que este gesto «confirma uma tendência à colaboração que não só pode ver-se no âmbito teórico, mas também prático».

«Isso é demonstrado, por exemplo, na reunião da Comissão mista católico-ortodoxa que aconteceu em 28 de dezembro, estabelecida há um ano para tratar de alguns problemas práticos entre as duas Igrejas», revela.

«Parece-me que agora já não há problemas que as duas partes não possam enfrentar aberta e livremente, sem cair no risco de romper as relações, sobretudo sem cair no risco de que se rompa o clima de confiança, de diálogo, fundado no respeito recíproco», acrescenta.

Mennini considera também sumamente oportuno o fato de que o patriarca de Moscou tenha lançado na liturgia um forte chamado de apoio à família.