Patriarca Gregórios III visita o Brasil

| 1698 visitas

Por Prof. José Pereira da Silva

TAUBATÉ, segunda-feira, 9 de agosto de 2010 (ZENIT.org) – A cidade de Taubaté (125 km de São Paulo) recebe no dia 10 de agosto o Patriarca Greco-Melquita de Antioquia e de todo o Oriente, Alexandria e Jerusalém, líder da Igreja Greco-Católica Melquita. O Patriarca é Gregório III Laham. Irá consagrar o altar da igreja de Sant’Ana às 18h30. Ele visita o Brasil de 5 a 16 de agosto.

Em todo o mundo são 25 as Igrejas de rito oriental. Na Igreja católica existem patriarcas de rito oriental e de rito latino. Cada uma delas tem à frente um Patriarca, que, diferentemente dos patriarcas ocidentais, é meramente honorífico, mas tem jurisdição sobre todos os bispos e fiéis do seu rito. Estes patriarcas estão ligados ao Papa. Estes Patriarcas são eleitos pelos respectivos Sínodos das Igrejas Orientais e depois confirmados pelo Papa.

Gregórios III Laham é o atual Patriarca Greco-Melquita de Antioquia e de todo o Oriente, Alexandria e Jerusalém. Nasceu em Daraya, perto de Damasco, Síria, em 1933, com o nome latino de Loutfi Laham. Daraya é conhecida tradicionalmente como o lugar da conversão de São Paulo no caminho de Damasco.

Aos 11 anos de idade, ingressou no Seminário de São Salvador dos Padres Basilianos Salvatorianos em Shoof, Líbano. Professou seus votos religiosos simples em 1949, e os votos solenes em 1954.

Recebeu sua educação religiosa e filosófica no Seminário de São Salvador, em Joun, Líbano. Ele continuou seus estudos teológicos em Roma, onde foi ordenado sacerdote em 1959, na igreja da Abadia de Grottaferrata.

Doutorou-se em Teologia Oriental pelo Pontifício Instituto Oriental em Roma. Foi superior do Seminário Maior Sagrado Salvador de 1961-1964. Neste período, em 1962, fundou a revista Al-Wahdah (Unidade na fé), a primeira revista ecumênica a ser publicada em árabe.

Ele fundou, no mesmo ano, o Centro para Jovens em várias aldeias libanesas. Em 1966, fundou, juntamente com o Revdmo George Kwaiter e o Revdmo Salim Ghazal, a casa Providência, um orfanato e uma escola profissionalizante para meninos. Posteriormente, fundou uma série de orfanatos e escolas técnicas.

Em 1974, foi nomeado Administrador do Vicariato Patriarcal de Jerusalém. Em 1976, em Jerusalém, fundou o Student, fundo para ajudar estudantes carentes e, em 1978, o Family Assistance Fund, para ajudar famílias carentes nas áreas mais problemáticas da sua Diocese.

Em 1967, fundou no Patriarcado uma Biblioteca Oriental para divulgar o conhecimento das tradições orientais. Empreendeu muitos projetos sociais, como por exemplo a construção de casas populares, incluindo uma casa de hóspedes para os peregrinos no Centro Patriarcal, em Jerusalém. Ele é conhecido em todo o Oriente Médio e na Europa como ecumenista.

Em 1981, foi sagrado Arcebispo e continuou seu trabalho como vigário patriarcal de Jerusalém, como sucessor do Arcebispo Hilarion Cappucci. Nomeado pelo Patriarca Maximos V Hakim, como presidente da Comissão Litúrgica Patriarcal, editou o Anthologion, o livro de orações da Igreja Católica Melquita Grega, em 4 volumes, e o Livro das Liturgias, um compêndio completo e atualizado da Divina Liturgia.

Como secretário da Comissão do Patriarcado Ecumênico Melquita, ele foi muito ativo no diálogo entre as Igrejas irmãs, a Greco-Católica Melquita e Igrejas Ortodoxas. Trabalha pela reunificação do Patriarcado de Antioquia.

Ele é membro da Liga das Universidades e Institutos de Ciências Religiosas no Oriente Médio. Gregório III é autor de vários livros.

O Sínodo Eleitoral do Patriarcado Greco-Católico Melquita, realizado em Rabweh, Líbano, no período de 27-29 de novembro de 2000, elegeu o Arcebispo Lutfy Laham o novo Patriarca de Antioquia e todo o Oriente.

Em 29 de novembro de 2000, foi eleito Patriarca, sucedendo Máximo V Hakim, que resignou com 92 anos de idade por causa da saúde prejudicada, e morreu sete meses depois.

Assumiu o nome de Gregório (Vigilante, em grego) depois do Patriarca Gregório II Youssef, o último de sua Ordem que tinha sido eleito Patriarca (1864-1897), grande defensor das tradições orientais e dos direitos dos Patriarcas no Concílio Vaticano I(1870). O lema de Gregórios III é “Vigiai no Amor”.