Pe. Federico Lombardi: "O Papa não descansou em nenhum momento"

Terceira coletiva de Imprensa com Pe. Federico Lombardi, S.J

Rio de Janeiro, (Zenit.org) Thácio Siqueira | 411 visitas

Na terceira coletiva de imprensa acontecida ontem (24) no Mídia Center de Copacabana, às 20h30, o Pe. Federico Lombardi, diretor da Sala de Imprensa Vaticana, começou pedindo um minuto de silêncio pelas vítimas do incidente ferroviário na Espanha, e assegurou que “o Papa já recebeu a notícia e que está rezando pelas vítimas”.

A missa em Aparecida foi algo muito bom, assegurou Pe. Lombardi. O Papa tem uma forte devoção e apreço por este santuário, "até mesmo por causa da participação ao Sínodo dos bispos acontecido no 2007". O número de peregrinos no Santuário de Aparecida foi por volta de 200 mil.  “Havia muita gente fora do santuário e muita no percurso do santuário ao seminário”, disse.

A celebração contou com a presença de alguns líderes de outras religiões, havia um Imã muçulmano, um representante hebreu e vários das Igrejas orientais.

Sobre a promessa que o Papa fez de voltar no ano 2017, Pe. Lombardi confirmou o desejo do Papa. “Como vocês sabem, no 2017 será celebrado o 300º aniversário da descoberta da Imagem de Aparecida. E todos esperam que o Papa venha para essa ocasião”.

Ali no seminário o Papa abençoou uma estátua “gigantesca” de Frei Galvão, canonizado pelo Papa Bento XVI em 2007. Ali o Papa almoçou com pessoal do seu séquito, seminaristas e outras pessoas, de forma muito simples e, “ao final, cumprimentou pessoalmente todos os cozinheiros e pessoal do serviço”.

“Depois saiu ao pátio e tinha um grupo de 40 freiras de clausura que o esperavam debaixo da chuva. Este encontro com as irmãs de clausura foi extraordinário”, até mesmo “uma irmã tirou uma foto abraçada com o Papa”. No final desse encontro, o Papa Francisco disse às irmãs que se sentiu como Daniel na cova dos Leões. “O Papa não descansou em nenhum momento”, destacou Pe. Lombardi.

Ao final do dia o Papa visitou o hospital São Francisco da Providência de Deus na zona norte do Rio de Janeiro. “Este encontro foi uma decisão pessoal do Papa Francisco de se dirigir ao mundo do sofrimento e dos jovens que sofrem com o álcool e a droga.” Papa Francisco continuou a preocupação demonstrada pelo Papa Bento XVI na sua última visita ao Brasil no 2007, quando visitou a Fazenda da Esperança em São Paulo.

Um ponto importante do discurso do Papa, disse Pe. Federico Lombardi, foi a sua tomada de posição  sobre aqueles que pensam que é liberando o uso da droga que se solucionará o problema. “O Papa disse que não, que devemos atacar as raízes do problema e não simplesmente deixar correr”.

O primeiro evento do Papa nesta quinta-feira foi o recebimento da Chave da cidade às 9h45. Logo após, a visita à favela da Varginha, por volta das 11h. Depois o Papa se dirigirá em carro aberto à catedral, pelas 12h30, para o encontro com os jovens argentinos. “Às 18h será a festa na praia de Copacabana”, concluiu o porta-voz do Vaticano.