Peregrinação deve levar à conversão pessoal, diz bispo

D. Manuel Quintas esteve em Fátima ontem junto das famílias Espiritana e Carmelita

| 1512 visitas

FÁTIMA, segunda-feira, 6 de julho de 2009 (ZENIT.org).- O bispo do Algarve (Portugal), Dom Manuel Quintas, considera que toda peregrinação deve ser oportunidade de conversão pessoal, visando ao fortalecimento do testemunho cristão no mundo.

Dom Manuel Quintas presidiu ontem à missa de conclusão das peregrinações das famílias Espiritana e Carmelita, em Fátima.

Em sua homilia, o bispo assinalou que o mandamento de Cristo "Ide pelo mundo e anunciai o Evangelho" é “sempre atual e reclama a urgência de todas as horas e de todo o tempo para a Igreja entendida e definida, na sua essência mais profunda, como missionária”.

A tarefa de evangelizar “não é facultativa para a Igreja nem delegável ou preterida pelos seus membros”. “A missão é de todos, é para todos e para todo o mundo. Como batizados devemos sentir-nos todos enviados e destinatários da evangelização”, destacou.

O bispo convidou a que, como peregrinos, “não nos contentemos em regressar às nossas terras, às nossas famílias, à nossa vida quotidiana, apenas como alguém que ‘veio a Fátima’, que ‘esteve em Fátima’, que ‘passou por Fátima’”.

“É preciso que Fátima e a sua mensagem nos acompanhe no regresso às nossas casas. Toda a peregrinação deve convergir para a conversão pessoal, para o compromisso no anúncio e no testemunho do Evangelho”, disse.

Segundo o bispo, “a verdade da conversão pessoal bem como a vitalidade de uma comunidade cristã é proporcional ao compromisso e ao dinamismo missionário presente em toda a sua ação pastoral”.