Peru: milhares se despedem do bispo irlandês que dedicou a vida às populações andinas

Dom William Dermott Molloy fundou escola, seminário e refeitórios populares, além de traduzir livros religiosos ao quéchua

Buenos Aires, (Zenit.org) | 371 visitas

Dom William Dermott Molloy, bispo emérito de Huancavelica, partiu para a Casa do Pai no dia 19 de agosto, em Lima, aos 83 anos.“Adeus, soldado de Cristo e guerreiro do quéchua, Dom William Dermott Molloy”, saúda o diário local La Voz de Huamanga.

Durante quase 30 anos, ele cuidou de crianças e idosos abandonados. Criou refeitórios populares, asilos, escola, colégio e instituto. Era da Irlanda, mas aprendeu o quéchua, o dominou e traduziu a bíblia e livros religiosos ao runa simi, o idioma quéchua.

Milhares estiveram presentes na praça das armas de Huancavelica para prestar homenagem ao bispo que os acompanhou durante quase 30 anos. Após a missa, o féretro foi levado até a cripta da catedral da região considerada a mais pobre do Peru.

Durante catorze anos, ele esteve à frente de uma paróquia rural em Huancarama (Apurímac), onde conseguiu dominar o idioma quéchua.

Dom William Dermott Molloy nasceu em Dublin, na Irlanda, em 10 de maio de 1930. Foi ordenado sacerdote em 5 de junho de 1955, consagrado bispo em 4 de julho de 1976 e transferido para a diocese de Huancavelica em 14 de janeiro de 1982.


Conhecido como “Monsenhor Demetrio”, Molloy chegou ao Peru depois de trabalhar alguns anos na diocese de Alabama (EUA).

Em 1976, foi consagrado bispo auxiliar de Huancavelica e, desde 1982, já como bispo titular, dirigiu a diocese em momentos difíceis provocados pela pobreza material e pelo terrorismo. Difundiu o amor pela cultura quéchua, com seus cantos e seu idioma. São diversas as traduções que fez ao quéchua: a bíblia, o ritual dos sacramentos, o missal e o catecismo.

Preocupou-se com a formação dos jovens e criou e promoveu o Colégio Seminário São João Maria Vianney, o Instituto Pedagógico Santa Rosa e a Escola de Música Santa Cecília, em que crianças e jovens, vários deles hoje padres, cultivaram o amor por Deus mediante a música e o canto.


Por intermédio da Caritas, realizou diversas obras de projeção social no mundo rural, com cuja atenção espiritual sempre se ocupou. A formação dos catequistas rurais e a promoção vocacional ao sacerdócio e à vida religiosa foram algumas das suas prioridades.


Como reconhecimento pelo seu grande trabalho pastoral, em janeiro de 2006, em sua 87ª Assembleia Plenária, os bispos do Peru lhe concederam a Medalha de São Turíbio de Mogrovejo pelos serviços à Igreja no Peru.


Em julho deste ano, o Congresso da República lhe outorgou a Medalha de Honra no Grau de Cavaleiro, em reconhecimento de seu infatigável trabalho pastoral, educativo e assistencial durante três décadas na região mais pobre do país.