Pêsames do Papa pelo falecimento do físico italiano Cabibbo

Era presidente da Academia Pontifícia das Ciências

| 1551 visitas

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 18 de agosto de 2010 (ZENIT.org) - A Santa Sé divulgou um telegrama assinado pelo cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado, no qual o Papa apresenta suas condolências pelo falecimento do físico italiano Nicola Cabibbo, presidente da Academia Pontifícia das Ciências.

Os funerais do cientista foram realizados hoje, na basílica romana de São Lourenço Fora dos Muros, presididos pelo cardeal Giovanni Coppa, núncio apostólico na República Tcheca.

O Papa quis recordar seu "generoso serviço à Santa Sé" e concedeu a bênção apostólica aos seus entes queridos e àqueles que participaram das exéquias.

Nicola Cabibbo, recordou o cardeal Coppa durante a homilia, ofereceu uma contribuição original e decisiva para o progresso do diálogo entre a fé e a razão, "nos grandes temas científicos e sociais como a vida, a morte, a evolução, o estudo do universo, a paz".

Cabibbo "investigou a estrutura do universo, sobretudo no campo da física de partículas". Com seus estudos, "foi às raízes da criação, a obra antiga e sempre nova da sabedoria de Deus", afirmou o purpurado, cuja homilia foi publicada na edição do L'Osservatore Romano de hoje.

Por sua parte, Dom Marcelo Sánchez Sorondo, chanceler da Academia Pontifícia das Ciências, sublinhou a contribuição de Cabibbo em "favorecer a reconciliação entre a fé e a razão, e seu apaixonado trabalho em defesa da paz, do desarmamento nuclear e no desenvolvimento das fontes de energia renováveis".

Nicola Cabibbo, além de presidente da Academia Pontifícia das Ciências, havia trabalhado no CERN (Organização Europeia para a Investigação Nuclear, N. do T.) de Genebra, e lecionado nas universidades La Sapienza e Tor Vergata de Roma. Dedicou muitas intervenções à relação entre criação e evolução.