Polonesa recebe cidadania israelense honorária por ter salvo uma família judia

Stanislawa Szlamowie e sua família esconderam e ajudaram judeus durante as perseguições da Segunda Guerra Mundial

Roma, (Zenit.org) Don Mariusz Frukacz | 904 visitas

Uma polonesa "justa entre as nações" recebeu o título de cidadã honorária de Israel. Stanislawa Szlamowie, de Jaskrów, perto de Czestochowa, salvou vários judeus com a ajuda da família durante a Segunda Guerra Mundial.

O reconhecimento foi entregue em Czestochowa pelo embaixador israelense na Polônia, Zvi Rav-Ner. Na cerimônia, o diplomata estava acompanhado por Michaela Linial, filha de Mordechai Lichter, um dos judeus salvos por Stanislawa. Michaela afirmou que a família de Stanislawa salvou seus entes queridos "sem aceitar nenhuma compensação material".

Stanislawa Włodarz, por sua vez, declarou com emoção ao receber o prêmio: "Temos que nos lembrar das vítimas, mas também das muitas pessoas que ajudaram e salvaram com coragem os judeus e as pessoas que sofriam, durante a Segunda Guerra Mundial".

Marianna e Stanislaw Szlamowie viviam com seus filhos Stanisława e Janek em um vilarejo chamado Cykarzew, perto de Czestochowa. Na véspera do Natal de 1942, bateram à sua porta quatro judeus: Mordechai Lichter e Moshe Lichter, este último com suas duas filhas. Eles tinham conseguido escapar durante a viagem forçada para o campo de extermínio de Treblinka.

Durante cerca de dois meses, os Lichter ficaram escondidos nos bosques, mas o inverno gelado já os ameaçava de morte. Decidiram procurar refúgio em uma casa e encontraram a família Szlamowie, que preparou um esconderijo, comida e roupas para os fugitivos. Stanislawa era a responsável pela comida da família Lichter.

Em 1944, os alemães chegaram ao vilarejo. A família Lichter teve que fugir da casa de seus protetores e voltar a se esconder nos bosques próximos. Mesmo lá, a família Szlamowie lhes entregava grandes pacotes de alimentos uma vez por semana, em um local secreto combinado previamente.

Com a ajuda da família polonesa, os Lichter conseguiram sobreviver, ainda que na clandestinidade, até a libertação, em janeiro de 1945. Por gratidão, antes de partirem para Israel, Moshe Lichter ofereceu à família de Stanislawa todas as suas propriedades, incluindo bens imóveis, mas os Szlamowie gentilmente recusaram a oferta. Em 24 de fevereiro de 1988, o Instituto Yad Vashem concedeu a Marianna e Stanislaw Szlam e à sua filha Stanisława o título de "Justos entre as Nações".