Pontos para nortear escolha dos candidatos, segundo arcebispo de Aparecida

D. Raymundo Damasceno pede discernimento e interesse pelo bem comum

| 1577 visitas

APARECIDA, sexta-feira, 27 de agosto de 2010 (ZENIT.org) – O eleitor deve exercer seu direito de votar com “muita liberdade, responsabilidade e consciência perante Deus e a sociedade, pensando não só nos seus interesses pessoais, mas no bem de todo o país”.

Foi o que afirmou nesta sexta-feira o arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, ao receber a imprensa no Seminário Bom Jesus para divulgar uma nota sobre as eleições 2010 no Brasil e falar sobre o processo eleitoral.

Na mensagem dirigida aos eleitores católicos, Dom Damasceno pede que não se negocie nem anule o voto. “O voto deve ser consciente, livre, responsável e não uma troca de favores. Quem o vende contribui com a corrupção e tem a mesma parcela de culpa daquele que compra. Se vir alguma prática neste sentido, denuncie, imediatamente, às autoridades competentes.”

O arcebispo indica que os eleitores procurem conhecer seus candidatos. “Quem é ele? qual seu histórico de vida? Quais suas ideias e propostas?”

Pede que os eleitores católicos sejam coerentes consigo mesmos e com seus princípios. “Não vote pelos resultados que as pesquisas apresentam, ou por outro qualquer motivo, que interfira na sua liberdade de escolha. O voto é livre. Vote naquele (a) que você perante Deus, a sociedade e sua consciência julgar merecer o seu voto”.

Escolher os representantes “não é tarefa fácil; é um desafio. É preciso, pois, ter espírito crítico, discernimento e interesse pelo bem de toda a sociedade”, afirma o arcebispo, que é também presidente do CELAM (Conselho Episcopal Latino-Americano).