Porta-voz vaticano pede pressão contra perseguição na Índia

Qualificada pelo primeiro-ministro como «vergonha nacional»

| 996 visitas

CIDADE DO VATICANO, segunda-feira, 13 de outubro de 2008 (ZENIT.org).- O porta-voz da Santa Sé pediu que os governos interessados e a comunidade internacional não fique com os braços cruzados diante da perseguição que os cristãos estão sofrendo, particularmente na Índia.

O padre Federico Lombardi S.J., diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, comentou sobre a onde de violência que assola o país, em particular no Estado de Orissa, que provocou a morte de pelo menos 80 cristãos, no último editorial de «Octava Dies», semanário produzido pelo Centro Televisivo Vaticano, do qual também é diretor.

«Os bispos indianos levantaram suas vozes em várias ocasiões, e outros fizeram o mesmo a partir do estrangeiro, por exemplo, a União Européia, para lançar às autoridades indianas questões preocupantes», informa o porta-voz.

«Parece que finalmente, ainda que com grande atraso, começam a chegar respostas e garantias de compromisso para restabelecer a calma», acrescenta.

O próprio primeiro-ministro, Manmohan Singh, reconheceu que para a índia isso é uma «vergonha nacional», «em contradição aberta com os grandes valores de não violência, tolerância e respeito das religiões que este grande país tem cultivado há séculos», recorda o padre Lomabrdi.

«Mas, certamente, há que se ter em conta que os fundamentalistas são ativos e constituem uma ameaça a partir de diferentes partes do mundo», adverte o porta-voz.

Por este motivo, conclui, «o diálogo entre as religiões, caminho longo e difícil, é um dos desafios mais cruciais de hoje e de amanhã, para que no nome de Deus se edifique sempre e só a paz».