Portugal: cardeal orienta sobre vigília de Advento

A convite do Papa, católicos rezarão pela vida nascente

| 1414 visitas

LISBOA, quinta-feira, 21 de outubro de 2010 (ZENIT.org) – O Cardeal-Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, convocou uma “Vigília diocesana pela Vida” para o dia 27 de novembro, no Mosteiro dos Jerónimos, às 21h30.

O cardeal assinala – em carta dirigida nessa quarta-feira aos párocos e às comunidades – que a iniciativa está no contexto do convite aos bispos do mundo feito por Bento XVI, quem “iniciará o Advento com uma Vigília, por ele presidida, na Basílica de São Pedro, intitulada ‘Vigília pela Vida Nascente’”.

Na carta, o cardeal Policarpo afirma que “todos estamos conscientes das agressões à vida, a esta busca da plenitude da vida, no nosso mundo contemporâneo”.

“A Igreja está ao serviço da vida. Ela acredita que toda a vida brota de Deus, que Jesus Cristo é a sua plenitude humana e a fonte da força que nos permite lutar pela verdade da vida, em todas as suas etapas e expressões”, afirma D. José Policarpo.

Nesta Vigília, que será celebrada por todas as Igrejas particulares, a pedido do Papa, “pediremos a graça e a luz do Senhor para a conversão dos corações e daremos um testemunho eclesial comum para uma cultura da vida e do amor”.

D. José Policarpo considera ainda que esta Vigília preparará o coração dos católicos para iniciativas próximas do Santo Padre, tais como a Jornada Mundial da Juventude (Madri, agosto de 2011) e o VI Encontro Mundial das Famílias (Milão, 2012).

O cardeal assinala que a Vigília constará das primeiras Vésperas do Advento, com adoração eucarística e bênção das grávidas. Convocam-se todos os diocesanos, de modo particular as famílias, as mulheres grávidas e os jovens.

D. José Policarpo sugere que se façam vigílias locais, paroquiais, inter-paroquiais ou vicariais nessa mesma noite, permitindo aos cristãos que estão em locais mais distantes unirem-se ao Santo Padre.

“Na sua recente visita, o Papa desafiou-nos a fazer da nossa vida um lugar de beleza. Propõe-nos agora um caminho para que isso aconteça. A vida sem beleza é uma vida que ainda não se encontrou”, afirma.