Portugal: falece Dom Armindo Lopes Coelho

O bispo emérito do Porto tinha 79 anos

| 1403 visitas

PORTO, quarta-feira, 29 de setembro de 2010 (ZENIT.org) - Faleceu nesta quarta-feira, 29 de setembro, Dom Armindo Lopes Coelho, bispo emérito do Porto, com 79 anos de idade.

Os seus restos mortais estarão na Sé do Porto a partir desta tarde, sendo celebrada Missa Exequial amanhã, quinta-feira, às 16h.

Em comunicado oficial enviado à Agência ECCLESIA, o atual bispo do Porto, Dom Manuel Clemente, refere que "Dom Armindo foi um fiel e generoso pastor da Igreja, com abnegada dedicação à causa do Evangelho em todos os importantes cargos que lhe foram confiados".

"A todos nos deixa um grande exemplo de serviço eclesial, que nos cabe agradecer e continuar", acrescenta, pedindo a Deus "a feliz recompensa dos seus muitos méritos".

Dom Armindo Lopes Coelho residia na "Casa da Mão Poderosa", em Ermesinde, pertencente à diocese do Porto, onde faleceu nesta manhã.

No dia 18 de outubro de 2006, o falecido bispo sofreu um acidente vascular cerebral, o que viria a levar à nomeação de Dom João Miranda Teixeira como administrador apostólico da diocese.

A resignação ao cargo foi aceita por Bento XVI em 22 de fevereiro de 2007, data em que Dom Manuel Clemente foi nomeado como novo bispo do Porto.

Dom Armindo Lopes Coelho nasceu em 16 de fevereiro de 1931, em Regilde (Felgueiras), distrito do Porto. Foi ordenado presbítero na Sé Catedral do Porto em 1º de Agosto de 1954. Frequentou a Universidade Gregoriana, em Roma, até 1959, tendo-se licenciado em Filosofia e Teologia.

Em 1959, foi nomeado professor e prefeito no Seminário Maior do Porto, onde leccionou até 1974. Em 10 de julho de 1970, foi nomeado vice-reitor do Seminário Maior do Porto com exercício pleno da Reitoria, num período de certa agitação e expectativa sobre aquilo que ia ser o Vaticano II.

Foi também durante alguns anos professor de Religião e Moral no Liceu Rodrigues de Freitas, professor de Moral no Instituto de Serviço Social do Porto e professor de Teologia Dogmática no Centro de Cultura Católica.

Em 21 de julho de 1962, foi nomeado assistente diocesano da JUC, tendo exercido o cargo até 1965. Dedicou-se também à Pastoral Familiar, aos Grupos de Casais de Nossa Senhora e à Escola de Pais Nacional, de que foi cofundador em Portugal.

No dia 11 de abril de 1971, foi nomeado cônego capitular da Sé Catedral do Porto. Em 19 de fevereiro de 1975, foi nomeado reitor do Seminário de Nossa Senhora da Conceição (Seminário Maior) do Porto.

Em 19 de Abril de 1975, foi nomeado vigário episcopal para o clero e Renovação do Ministério Eclesiástico e, em março de 1976, tornou-se pró-vigário geral da diocese.

Em 5 de janeiro de 1979, foi nomeado bispo titular de Elvas e auxiliar do Porto, sendo a ordenação episcopal realizada na Sé Catedral do Porto em 25 de Março de 1979 e presidida por Dom Antônio Ferreira Gomes.

Desde 27 de outubro de 1982 até 1997, foi bispo de Viana do Castelo. Em 13 de junho de 1997, foi nomeado bispo do Porto, tendo tomado posse da diocese em 29 de julho desse mesmo ano.

Ocupou esse cargo até fevereiro de 2007, numa tarefa que Dom Armindo Lopes Coelho considerava como "uma honra".

Entre os seus pares era admirado pela sua inteligência, capacidade de diálogo e senso de humor. Tinha como lema ser "servo de todos para exercer o ministério episcopal".

(Com Agência Ecclesia)